conecte-se conosco


Mato Grosso

Criatividade que gera riqueza

Publicado

Olhar para o futuro de Mato Grosso é debater a importância do desenvolvimento dos seus municípios enquanto ‘Smart Cities ou Cidades Inteligentes’. Esse é um conceito consolidado globalmente sobre desenvolvimento sustentável, ele movimentará só em soluções tecnológicas US$ 400 bilhões até 2020, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), gerando emprego e renda pela economia criativa.

Para exemplificar o poder da criatividade que cria riquezas, convido-o a fazer uma viagem no tempo pelo Rio Cuiabá, local onde Mato Grosso começou e onde ocorreram acontecimentos singulares para a história e economia do Estado. Embarcarão conosco o passado, o futuro, o presente e o meu amigo Erasmo, o turista, que será o protagonista.

O ano é 2088, o lugar é São Gonçalo. Foi lá, em 1688, que Antônio Pires de Campos aportou com sua canoa às margens do rio da lontra brilhante, chamado Kyyaverá. Levei meu amigo Erasmo para comer um pacu assado como manda a tradição. O banquete foi na chalupa de Nhára Preta, que fazia linha até o Porto de Cuiabá, nossa próxima estação.

A grande proa do barco era toda transparente, mais parecia um telão. Mas para o amigo viajante, ver um rio verdejante era o que lhe chamava a atenção. Sua maior alegria ao saborear a iguaria era ver à luz do dia que por ali não havia sinal de poluição, o resíduo da cidade com toda dignidade era tratado na região.

Leia mais:  Escola Liceu Cuiabano retoma aulas presenciais com palestra do secretário de Educação

Na curva do rio surpresa e tensão: guerreiros nativos bravios diziam serem os donos da seção.Batiam boca sem parar até que Cacique Guerreiro falou: “Por aqui não podem passar!” Mas mudaram de direção ao ali chegar outra embarcação. Era Pascoal Moreira Cabral, o fundador do Arraial, que acabou com a confusão.

Mas, ao surgir um vapor, Erasmo voltou ao temor: Salto Guaíra era a nau que veio tomar Cuiabá a mando do Paraguai. Erasmo ao ver os soldados ficou muito angustiado e soltou seu vozerão. E para o bem do Erasmo o Guaíra foi parado pelo Jaurú e o Antônio João, vapores armados a bala de fuzil e de canhão, e o inimigo então desistiu da sua brutal intenção.

Erasmo estava mais aliviado, sua vida podia ter ali terminado, mas junto comigo chegou lá no Porto, assim meio reto, assim meio torto, e ainda um pouco mais desconfiado. Foi ele então logo recepcionado por um homem alto, bem paramentado. Chamava-se Dom Aquino, Presidente do Estado, que também vinha a ser sacerdote e letrado.

Era oito de abril e Aquino falou, dos tempos de menino e nos convidou. Queria que o meu amigo Erasmo, que vinha das terras lá da realeza, pudesse em nome de Vossa Alteza falar nessa grande ocasião. Então o amigo já meio sem jeito, sentiu palpitar um ardor no seu peito, olhou para Bispo e aceitou a missão.

Leia mais:  Governo de MT inicia elaboração de Plano de Mobilidade para Região Metropolitana

Soaram os clarins triunfais bem ao alto, e viu o Erasmo que estava em um palco, Cacique Guerreiro ali ao seu lado, também Nhára Preta, Pascoal e o Soldado. Ao som do rasqueado, sem gritos de guerra, em vez de discurso e sem mais espera, Erasmo ganhou um abraço apertado, uma viola de cocho, um ganzá e uma cruz, um pau de guaraná de ralar e uma benção do Senhor Bom Jesus.

A acolhida deixou sua emoção logo à vista, Erasmo ganhou Cuiabá e os cuiabanos ganharam o coração do turista! Erasmo apertou minha mão e falou: “A felicidade é turista, mas aqui ela é natal, a todos vocês o meu muito obrigado, estou maravilhado com a Cuiabá Digital!”.

Proporcionar ao turista uma interação virtual com as personagens que deram identidade à cultura de Mato Grosso é um desafio que gerará valor. A viagem no tempo é ficção, mas a construção de Museus Virtuais, por que não? Outro Erasmo, o amigo do Rei, inspirado cantou palavras sabias do poeta Gonzaguinha: “Esse tempo vai passar, não se desespere não, nem pare de sonhar, vamos lá fazer o que será!” Vamos lá?

Jefferson Daltro, estuda Criatividade Exponencial no Instituto de Física da UFMT, é mestre em Estudos de Cultura Contemporânea, apóia o projeto Radar da Inovação da Sedec e Unemat, e integra a equipe do Parque Tecnológico da Secitec.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Grupo de Fiscalização do Sistema Carcerário promove I Ciclo de Diálogo sobre Audiências de Custódia

Publicado

O Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Socioeducativo de Mato Grosso (GMF/MT) realizará durante os meses de agosto e setembro o I Ciclo de Diálogos sobre as Audiências de Custódia: 7 Anos em Mato Grosso.
 
Sob a perspectiva dos sete anos das audiências de custódia em Mato Grosso, o evento é direcionado aos profissionais que atuam na área de execução penal (equipe técnica, policiais penais e servidores do Judiciário) e tem como objetivo debater temáticas centrais e dar visibilidade aos manuais para fortalecimento das audiências de custódia, assim como promover ações de combate à tortura e capacitação dos servidores penitenciários.
 
A solenidade de abertura do evento será promovida dia 15 de agosto, às 9h, de forma presencial, no Auditório Desembargador Gervásio Leite, localizado no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).
 
O primeiro encontro contará com a presença do supervisor do GMF, desembargador Orlando Perri, da desembargadora Maria Erotides Kneip, do coordenador do GMF, juiz Geraldo Fidelis, e da aula inaugural do coordenador do Núcleo de Custódia de Cuiabá, juiz Marcos Faleiros.
 
Temas Centrais e Encontros – O Ciclo de Diálogos é realizado em parceria com a Coordenadoria de Ensino Penitenciário da Academia de Polícia Penal (ACADEPOLP/MT) e contará com seis temas centrais: audiências de custódia; monitoração eletrônica; uso de algemas; tortura; tomada de decisões; proteção social.
 
O evento terá seis reuniões virtuais, de 15 de agosto a 19 de setembro (às segundas-feiras), das 8h às 12h, com carga horária total de 24 horas, e Os encontros serão realizados via plataforma ‘Teams’.
 
Inscrições – As inscrições devem ser realizadas via ‘Google Forms’, no link abaixo. A lista de presença deverá ser respondida a cada encontro, conforme link a ser encaminhado pela equipe GMF na caixa de diálogo da plataforma virtual.
 
 
Programa Fazendo Justiça – O Ciclo atende as ações pactuadas entre o TJMT e o Programa Fazendo Justiça, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio do Termo de Cooperação Técnica nº11/2020 – SEI N. 02842/2019, no que tange à ação das audiências de custódia.
 
O programa atua para a superação de desafios estruturais do sistema penal e do sistema socioeducativo, a partir do reconhecimento do estado de coisas inconstitucional nas prisões brasileiras pelo Supremo Tribunal Federal. O Fazendo Justiça compreende um plano nacional com 28 ações para as diferentes fases do ciclo penal e do ciclo socioeducativo, adaptado à realidade de cada unidade da federação com o protagonismo dos atores locais. As ações reúnem as melhores práticas de diferentes gestões do CNJ e se desdobram em apoio técnico, doação de insumos e articulação institucional.
 
Informações – Em caso de dúvidas ou informações sobre a capacitação, o GMF disponibiliza o e-mail gmf@tjmt.jus.br como canal de comunicação com as pessoas interessadas no evento.
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Imagem 1: Arte azul com formas assimétricas e estátua representando o símbolo da justiça. Em um box azul na parte superior da arte está escrito ‘1º Ciclo de Diálogos sobre as Audiências de Custódia 7 Anos em Mato Grosso’. Na parte inferior da arte temos um box retangular branco, com as marcas dos parceiros do evento.
 
Marco Cappelletti
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Leia mais:  Polícia Militar recaptura fugitivo da Penitenciária de Água Boa

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

MPMT firma parceria com Governo para elaboração de Plano Estadual

Publicado

O procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, José Antônio Borges Pereira, entregou ao governador Mauro Mendes, na manhã desta terça-feira (9), pedido de criação de um Grupo de Trabalho (GT) para elaboração do Plano Estadual de Segurança Alimentar-Nutricional e Desenvolvimento Socioprodutivo no Estado de Mato Grosso. O governador se comprometeu a instituir o GT por meio de decreto, a ser publicado até sexta-feira (12). A iniciativa faz parte do “Projeto Cibus – Você tem fome de quê?”, desenvolvido pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPMT).

O Grupo de Trabalho terá a missão de estabelecer um diálogo sobre a insegurança alimentar no Estado, articular e coordenar as políticas estaduais e municipais e, principalmente, estabelecer a construção de um Plano Estadual de Segurança Alimentar-Nutricional. “A intenção do Ministério Público é firmar essa parceria com o Estado e, juntos, transformarmos o cenário da fome e da insegurança alimentar em Mato Grosso. Sabemos que o processo não é milagroso, por isso precisamos unir esforços”, defendeu José Antônio Borges Pereira. Conforme o procurador-geral de Justiça, após a recente sanção da Lei n° 11.860/2022, que dispõe sobre a Política Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Pesan), a criação do GT é o próximo passo para a efetiva execução dessa política.

Conforme acordado na reunião, o GT com duração de 90 dias será composto por representantes do Poder Executivo Estadual, do Ministério Público, dos Municípios e da sociedade civil. Entre os integrantes estarão a Casa Civil, secretarias de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), de Agricultura Familiar (Seaf), de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) e Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM). Para o governador Mauro Mendes, a pluralidade na composição do grupo é importante por trazer perspectivas e experiências diferentes para a discussão do enfrentamento à fome.

Leia mais:  Governo credencia estabelecimentos com valores a receber de empresa que teve contrato rescindido

O procurador-geral de Justiça visitou o Palácio Paiaguás acompanhado da subprocuradora-geral de Justiça de Planejamento e Gestão, Hellen Uliam Kuriki, do subprocurador-geral de Justiça Jurídica e Institucional, Deosdete Cruz Junior, do coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos, Diversidade e Segurança Alimentar do MPMT, Henrique Schneider Neto, e da chefe do Departamento de Planejamento e Gestão (Deplan), Annelyse Cristine Candido Santos. Também participou da reunião a secretária de Estado de Assistência Social e Cidadania, Rosamaria Carvalho.

Agora é lei – Sancionada pelo governador no fim de julho, a Lei n° 11.860/2022 dispõe sobre a Política Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Pesan) e organiza o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan) no âmbito do Estado. A norma considera “segurança alimentar e nutricional sustentável a garantia do direito ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, com base em práticas alimentares promotoras de saúde que respeitem a diversidade cultural e que sejam ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentáveis”.

De acordo com a lei, a política é instrumento de planejamento integrado e intersetorial de políticas e programas governamentais e ações da sociedade civil, e tem como finalidade assegurar o direito humano à alimentação adequada. O artigo sétimo da lei estabelece que o “Plano Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional, resultado de pactuação intersetorial, é o principal instrumento de organização, planejamento, gestão e execução da Pesan e tem como finalidade realizar os objetivos da política, por meio de programas, ações e estratégias definidos com participação popular e controle social”. E o GT a ser criado pelo Governo atuará justamente na elaboração desse plano.

Leia mais:  CGE orienta servidores sobre condutas vedadas em ano eleitoral

Visita anterior – Em abril deste ano, representantes do MPMT apresentaram ao governador Mauro Mendes sugestões para efetivação da Política Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Pesan) e a retomada imediata do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan). Além disso, o Ministério Público sugeriu a criação do Banco de Alimentos do Estado de Mato Grosso, a ampliação de restaurantes populares em municípios com maior percentual da população em vulnerabilidade nutricional e alimentar, entre outras medidas.

Projeto do MPMT – Cibus é uma palavra em Latim, que na língua portuguesa significa comida, alimento. O projeto, idealizado pelo Centro de Apoio Operacional (CAO) de Defesa dos Direitos Humanos, Diversidade e Segurança Alimentar, foi lançado em fevereiro deste ano e está entre as prioridades do Planejamento Estratégico Institucional (PEI) do Ministério Público do Estado de Mato Grosso.

Fonte: MP MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Inscrições Abertas: formação continuada tem como tema Execução Penal e Sistema Penitenciário

Publicado

Com o objetivo de promover formação continuada aos membros do Poder Judiciário de Mato Grosso, a Escola da Magistratura de Mato Grosso oferece o curso ‘Execução penal e sistema penitenciário: abordagem prática na perspectiva judicial’. As inscrições estão abertas e seguem até o dia 16 de agosto (terça-feira). Além dos magistrados(as), podem se inscrever assessores(as) e servidores(as) da Justiça estadual.
 
Com carga horária de 20 horas, o curso será realizado entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro, das 8h às 18h, na sede da Escola Superior da Magistratura de Mato Grosso (Esmagis-MT). Ao todo, são ofertadas 45 vagas. A ação pedagógica também é credenciada na Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) e, portanto, para magistrados, válida para promoção na carreira.
 
Dentre os conteúdos que serão apresentados estão: competências do juiz corregedor das unidades prisionais e a importância da atuação do juiz da execução na ressocialização humanizada; Função social do juiz da execução penal; Formação da rede de apoio ao egresso: Conselho da Comunidade, GMF – Grupo de Monitoramento de Fiscalização do Sistema Penitenciário do Estado de Mato Grosso; Impacto das ações e omissões do juiz da execução penal no Sistema de Justiça e na sociedade e ainda Principais tratados internacionais.
 
Os temas serão abordados pela juíza Helícia Vitti Lourenço, titular da Primeira Vara Criminal de Cáceres, com competência para processo e julgamento dos crimes dolosos contra à vida (primeira e segunda fases). Ela também é corregedora das Unidades Prisionais de Cáceres e juíza da Execução Penal. Membro do Núcleo de Inquéritos Policiais da Capital (Nipo), do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Penitenciário e do Sistema Socioeducativo do Estado de Mato Grosso (GMF-MT), da Comissão Especial sobre Drogas Ilícitas do TJMT e integrante do Grupo de Estudos da Magistratura de Mato Grosso (Gemam).
 
 
 
 
Mais informações pelos telefones (65) 3617-3844 / 3617-3467 ou pelo e-mail esmagis@tjmt.jus.br.
 
Keila Maressa
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
 
 
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Leia mais:  Seis são presos por tráfico de drogas em bairros de Cuiabá

Comentários Facebook
Continue lendo

BRABINHO OURO INFORMA

R$ 308,54

Peixoto de Azevedo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Política Nacional

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - REDE CENTRO NORTE DE COMUNICAÇÃO LTDA-ME - CNPJ: 34.052.986/0001-65 | Peixoto de Azevedo - MT
Desenvolvido por InfocoWeb - 66 9.99774262