Connect with us

Rotuladas muitas vezes como ‘sexo frágil’, as mulheres ainda enfrentam adversidades nos dias atuais para adentrar áreas consideradas masculinas, entre elas, o esporte. Uma pesquisa realizada entre 2017 e 2018 pela ONG britânica Women in Sport apontou, por exemplo, que cerca de 40% das atletas femininas entrevistadas sofreram algum tipo de discriminação de gênero.

O estudo ‘Beyond 30 per cent: Workplace Culture in Sport’ (Além dos 30%: A cultura do local de trabalho no esporte, em tradução livre) apenas mostra o que é comum nas quadras de vôlei, basquete, nos tatames e pistas de atletismo de todo o mundo: que as mulheres são exemplos de luta e superação. 

Neste mês em alusão ao Dia Internacional da Mulher, a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) buscará histórias que marcaram o esporte mato-grossense e são sinônimo de orgulho para a população. Na avalição do secretário da pasta, o deputado estadual Allan Kardec, o incentivo ao esporte, principalmente entre as mulheres, é sem dúvida um projeto importante de governo. “Esporte é saúde, qualidade de vida, também traz oportunidades a jovens de vários níveis sociais, temos que incentivar sim”.

 Karine Gomes, basquetebol 

O esporte está na vida de Karine Gomes desde a infância. Já aos 13 anos participava de seu primeiro campeonato brasileiro de basquetebol e na sequência foi selecionada para a equipe da Ponte Preta na categoria infanto-juvenil. Foi campeã mato-grossense, representando Cuiabá por 11 anos. Também já representou as equipes de Miracema (RJ), Flamengo (RJ) e Unimed Araçatuba (SP).

Em 2012 assumiu a presidência da Federação Mato Grossense de Basketbal e atualmente ocupa a função de conselheira da Confederação Brasileira de Basketball (CBB). Mãe do Luiz Guilherme e do Cauã, é advogada e assessora jurídica. A atleta e advogada já treinou com grandes nomes do basquetebol feminino, como Paula, Hortência, Helen e Ruth, essa última de Guiratinga. Mais do que inspiração, a oportunidade de treinar com essas renomadas esportistas trouxe um estímulo a mais em sua carreira no basquete.

Quando foi presidente da Federação Mato-grossense, Karine era a única mulher presidente de federação de basquete no país. Segundo ela, essa baixa inserção feminina no comando de entidades representativas poderia ser mudada caso houvesse mais incentivos, tanto na melhor divisão de tarefas dentro de casa quanto por meios de iniciativas das próprias instituições. “Ainda há poucos estímulos e muitas cobranças quando a mulher prioriza qualquer coisa que não seja a casa e os filhos”. 

Karine vê poucas mulheres inseridas no contexto macro do esporte –  especialmente como lideranças – acredita que isso não seja uma peculiaridade do basquete, mas um fator cultural. “Sempre que eu chegava em uma Assembleia Nacional, as recepcionistas perguntavam quem da Federação eu estava representando”, exemplifica. 

Mas ela alcançou o ‘empoderamento’ encarando as barreiras que se apresentaram em sua vida e aproveitando as oportunidades. “Tive resistir muito mais que os jogadores homens, mas sempre quis fazer as escolhas com equilíbrio e a enfrentar as cobranças, porque sei que sou exemplo a muitas outras mulheres que buscam aliar a prática do esporte ao papel de mãe e profissional.”

Leia mais:  Ministério altera calendário das etapas de vacinação contra febre aftosa

 Luzia Fernandes, jiu jitsu 

Luzia Fernandes, atleta de jiu Jitsu e professora de luta olímpica na Escola Arena Pantanal, ostenta uma coleção de medalhas que dá orgulho a todos os mato-grossenses, homem ou mulher. No Jiu Jitsu, foi quatro vezes campeã mundial e 17 vezes campeã brasileira. E no judô, Luzia conquistou duas vezes o ouro na competição pan-americana, uma vez na sul-americana de judô e cinco vezes na competição nacional. 

Suas vitórias mais recentes foram no Campeonato Sul-Brasileiro de Jiu-Jitsu, realizado em fevereiro deste ano, sendo campeã nas provas com Kimono e sem Kimono.

Por ser um esporte em que há predominância masculina, Luzia conta que as mulheres que praticam jiu-jitsu sofrem um pouco pelo preconceito, principalmente com as brincadeiras que costumam ouvir. “São alguns embaraços desnecessários. Mas acho que estamos conseguindo conquistar nosso espaço”, comenta a esportista.

Comparado a outros Estados, em Mato Grosso a presença de mulheres praticando Jiu Jitsu ainda é pequena. Mas a atleta ressalta que houve um crescimento do interesse das mulheres pelo jiu-jitsu. “Percebo que cresceu a participação feminina. Na academia que faço parte, por exemplo, há mulheres que praticam para serem competidoras e outras que fazem por hobby”.

Na Escola Estadual Governador José Fragelli, a escola na Arena Pantanal, em que Luzia dá aulas de wrestling (luta olímpica) há uma boa participação na modalidade e até algumas conquistas. “No ano passado,  conseguimos classificar alguns alunos para o brasileiro estudantil, sendo que maioria é formada por meninas e voltamos de lá com duas medalhas de segundo e uma de terceiro lugar”, comemora.

Independentemente do gênero, Luzia constuma passar a seus alunos que para alcançar resultados tudo deve ser feito sempre com muito amor e dedicação. Como muitos alunos, inclusive as mulheres, se inspiram em seu trabalho, Luzia faz o possível para dar bons exemplos dentro e fora do tatame.

Maria Aparecida Lima, atletismo 

Única mato-grossense a competir nas Olimpíadas na modalidade atletismo feminino, Maria Aparecida Souza De Lima participou dos Jogos Olímpicos de Atlanta 96 na prova de salto triplo. Natural de São José dos Quatro Marcos, interior de Mato Grosso, Cida, como é conhecida, é recordista brasileira no salto em distância e recordista brasileira e sul-americana em salto triplo.

Para a atleta, as conquistas femininas em competições nacionais e internacionais têm ajudado a aumentar a participação de mulheres no atletismo. “O atletismo é uma modalidade individual, em que sua performance só depende de você e da sua força de vontade. Quando mulheres do esporte se destacam,  outras se inspiram e acreditam mais em suas potencialidades”.

Leia mais:  Seis empresas entregam propostas para construção do Hospital Regional de Tangará da Serra

Esposa do atleta também renomado Vicente Lenilson e mãe de dois meninos, Pedro e Davi, Cida fala da importância de incentivar a prática de esportes desde a infância. Ela, que recebeu o apoio quando criança, destaca que isso ajuda a fazer do esporte uma vivência, mesmo que haja barreiras no cotidiano.  “Fui atleta dos nove anos aos 33 anos. Hoje com 47 anos se eu parar o corpo sente, pois o esporte sempre fez parte da minha vida”. 

Suas referências no atletismo são as também mato-grossenses Lissandra Maysa e Renatha Neves. “Queremos, juntas,  construir uma história e garantir a representatividade feminina no esporte em Mato Grosso, Brasil e no mundo”.

 Melissa de Arruda, voleibol 

Melissa Prudêncio de Arruda começou a praticar voleibol aos 13 anos. Aos 15 chegou a ser pré-convocada para a seleção brasileira de vôlei de quadra, na categoria infantil, mas sua pouca estatura impediu que o chamamento se concretizasse.

Nem por isso a atleta abandonou o esporte. Melissa fez parte da seleção mato-grossense nas categorias infantil e juvenil. Nesse período alcançou, inclusive, o título de campeã brasileira junto com a equipe.

Uma outra mulher, a sua irmã Maira, foi sua inspiração para começar a jogar voleibol. “Minha irmã iniciou no esporte quatro anos antes de mim. Eu era muito nova, acompanhava ela nos jogos e ficava maravilhada com tudo, ela me inspirou”.

Alguns anos depois, de inspiradora a irmã passou a ser sua parceira. “Conseguimos jogar juntas, formar a parceria e alcançar alguns títulos pro Estado”, conta Melissa. Elas formaram dupla de vôlei de praia e foram, durante 13 anos consecutivos, campeãs do circuito mato-grossense. Melissa e Maira foram também a única dupla feminina a representar Mato Grosso no Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia ou em outras competições nacionais.

Na opinião de Melissa, nos últimos anos houve um grande evolução na participação das mulheres no voleibol, mas se for comparar com a participação masculina ainda há muito que avançar. “No vôlei e também nas demais modalidades esportivas ainda somos minoria”, enfatiza.

As conquistas da seleção brasileira feminina de voleibol foram essenciais para incentivar outras meninas na prática do esporte, segundo Melissa. Ela acredita que isso ajudou a aumentar a participação feminina no esporte em Mato Grosso e em todo o país. 

O incentivo da família e bolsas de estudo ajudaram Melissa a superar as dificuldades e continuar a praticar o esporte. Hoje, mãe de Gabriel e Maria – que é portadora síndrome de down, a esportista enfrenta com gratidão as complexidades que a fazem ficar afastada do voleibol por alguns períodos. Mas segue vencendo as barreiras, lutando como uma mulher, e sendo exemplo de vida para muitas outras.

Comentários Facebook
Advertisement

Mato Grosso

Grupo de Fiscalização do Sistema Carcerário visita unidade prisional de Barra do Garças

Published

on

O Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Socioeducativo de Mato Grosso (GMF) realizou nessa terça-feira uma inspeção de rotina na Cadeia Pública de Barra do Garças (509 km ao Leste da Capital).
 
A equipe do Poder Judiciário, liderada pelo supervisor do GMF, desembargador Orlando Perri, está percorrendo os municípios de Mato Grosso para averiguar as condições oferecidas às pessoas privadas de liberdade e para fomentar a implantação do Escritório Social, importante ferramenta do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que assegura aos egressos e pregressos do Sistema Carcerário cidadania, dignidade e novas oportunidades.
 
A unidade de Barra do Garças conta com cerca de 230 reeducandos, dos quais, 160 participam da remição por leitura e 45 da remição pelo estudo. A remição da pena é assegurada pela Lei de Execução Penal ( Lei n. 7.210/1984, modificada pela Lei n. 12.433/2011) e pela Resolução CNJ nº 391/2021, que preveem o abatimento da pena a ser cumprida por meio de trabalho, de estudo e de livros lidos, a partir de relatórios de comprovação da leitura das obras pelos privados de liberdade.
 
Atualmente, 14 ressocializandos têm direito à remição pelo trabalho intramuro (dentro da unidade) e um extramuro (fora da cadeia), mas a expectativa é de que a partir da próxima semana mais 14 reeducandos iniciem o trabalho extramuro em parceria realizada, por meio da Fundação Nova Chance (Funac), com as prefeituras de Barra do Garças e Pontal do Araguaia.
 
A Cadeia Pública de Barra do Garças oferece aos reeducandos projetos como o Reconstruindo Sonhos, com a realização de cursos de corte e costura para oportunizar uma nova profissão às pessoas privadas de liberdade após o cumprimento da pena. A unidade também promove atividades de artesanato em geral e de produção de barcos e objetos de madeira.
 
O supervisor do GMF, desembargador Orlando Perri, destacou o bom trabalho realizado com as diversas melhorias implantadas na cadeia de Barra do Garças, mas ressaltou que urge a necessidade da construção de uma nova unidade prisional no município, em uma área mais afastada do centro da cidade.
 
“Melhorou sensivelmente desde a nossa última visita em 2019, nós temos aqui, por exemplo, um espaço climatizado dos trabalhadores de confecção, antes não existia nada. Mas sabemos que já estamos no limite do esgotamento da cadeia. Não temos espaços para construção de novas alas, muito menos para novas oficinas de trabalho e salas de aula. Não há mais como expandir. “Precisamos urgentemente construir uma nova unidade e esperamos que isso aconteça até o final do ano que vem”, afirma o desembargador.
 
O líder do GMF adiantou que as tratativas para a aquisição do novo espaço já estão em andamento e aproveitou para conferir as obras de construção da unidade do Socioeducativo, também em Barra do Garças “Ainda não temos o espaço físico, mas já estamos tratando junto ao município, com o prefeito, em nossas reuniões. O Socioeducativo já está bastante avançado e deve ser inaugurado no próximo mês de dezembro.”
 
De acordo com o diretor do Foro e juiz da Vara de Execução Penal de Barra do Garças, Douglas Bernardes Romão, a atuação do GMF, como um órgão de apoio, permite o aperfeiçoamento e a avaliação de melhorias para a execução penal no município. “ O trabalho do GMF é muito positivo, quanto mais presente, melhor teremos o cenário de execução penal na unidade prisional.”
 
Reunião com as Prefeituras
 
Durante a visita ao município, a equipe do GMF se reuniu com representantes das prefeituras de Barra do Garças e Pontal do Araguaia para fomentar a empregabilidade e a contratação da mão de obra dos reeducandos, assim como para a criação do Fundo Penitenciário Municipal. Outro tema da reunião foi a área destinada para construção de uma nova unidade prisional em Barra do Garças.
 
Escritório Social
 
Na tarde de terça-feira, no Fórum da Comarca de Barra do Garças, também foi assinado pelo prefeito de Barra do Garças, Adilson Gonçalves de Macedo, o termo de intenção para adesão do município ao Escritório Social.
 
A ferramenta pública impulsionada pelo CNJ facilita o acesso ao atendimento nas áreas de saúde, atendimento psicossocial, qualificação e encaminhamento profissional de egressos e pré-egressos do sistema prisional. Os serviços são compartilhados entre o Poder Judiciário e as prefeituras municipais.
 
O prefeito de Barra do Garças, Adilson Gonçalves de Macedo, salientou o trabalho do GMF e do Escritório Social e afirmou acreditar que somente com o trabalho seja possível diminuir a reincidência no sistema prisional e dar dignidade aos reeducandos e seus familiares. “O Escritório Social é de fundamental importância e irá facilitar todo o acesso ao monitorar e dar apoio às necessidades e aptidões dos egressos. Temos que trabalhar em rede, quebrar preconceitos, para mostrar aos empresários que a mão de obra carcerária é barata e que temos muitos reeducandos em condições de prestar um serviço de qualidade.”
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual.
Primeira imagem: foto horizontal colorida do público assistindo palestra proferida pelo desembargador Orlando Perri. Ele está em pé, segurando um microfone e uma folha de papel, enquanto a plateia está sentada em cadeiras pretas, no plenário do júri.
Segunda imagem: foto horizontal colorida do desembargador Orlando Perri falando com o público no plenário do júri do Fórum de Barra do Garças. Ele está em pé, ao centro, veste calça jeans, camisa azul e terno azul marinho. À esquerda e à direita dele há pessoas sentadas em cadeiras pretas.
Terceira imagem: foto horizontal colorida do prefeito de Barra do Garças, Adilson Gonçalves de Macedo, assinando o termo de intenção para adesão ao Escritório Social. Ele está em pé e assina em duas folhas apoiado em uma mesa marrom. Ao fundo vemos o cenário do plenário do júri e bandeiras de Mato Grosso e do Brasil.
 
Marco Cappelletti (texto e fotos)
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Leia mais:  Câmara de Cuiabá fará homenagem à primeira-dama do Estado

Comentários Facebook
Continue Reading

Mato Grosso

Juiz da 2ª Vara Criminal de Água Boa seleciona assessor jurídico II

Published

on

O Gabinete da 2ª Vara Criminal da Comarca de Água Boa/MT está selecionado pessoas para uma vaga de Assessor Jurídico II, com remuneração bruta de R$ 8.064,62 (oito mil, sessenta e quatro reais e sessenta e dois centavos), cujo trabalho será exercido diária e presencialmente no Fórum da referida Comarca.
 
Para tanto, a pessoa interessada deverá:
 
Enviar, IMPRORROGAVELMENTE até o dia 22 de agosto de 2022, um vídeo de no máximo 10 (dez) minutos pelo whats app (66) 99233-9757 onde ela, sentada e de frente para a câmera, falará seu nome completo, data de nascimento, estado civil, se possui dependentes (quantos), a cidade de sua residência e seu domicílio. Os vídeos enviados após a referida data NÃO serão analisados.
 
Em seguida deve narrar um resumo de seu curriculum profissional na área do Direito, indicando o nome da faculdade em que se graduou em Direito e a data, se está fazendo ou já fez algum tipo de pós-graduação, bem como falar sobre as principais atividades profissionais por ela desenvolvidas e os respectivos locais, períodos e nome das pessoas a quem esteve subordinada.
 
Deve também falar sobre o que pensa a respeito do Poder Judiciário e da Magistratura.
 
Por fim, deve dizer por que está buscando a vaga de assessor jurídico e quais são suas expectativas com a assessoria de Magistrado no interior de Mato Grosso, bem como que conhecimento tem sobre a Cidade de Água Boa.
 
Será desconsiderada qualquer outra forma de contato que não o envio de vídeo por whats app (dentro do período de recebimento fixado), deixando claro que NÃO serão lidas eventuais mensagens de texto e não serão atendidas eventuais ligações telefônicas, seja para móvel ou fixo.
 
Quanto à avaliação do curriculum, NÃO haverá obrigatoriamente um retorno às pessoas que enviarem o referido vídeo, sendo que apenas aquelas selecionadas conforme critérios subjetivos do Magistrado é que serão contatadas para eventual teste prático e entrevista, a serem realizados em data futura a ser definida.
 
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Leia mais:  Ministério altera calendário das etapas de vacinação contra febre aftosa

Comentários Facebook
Continue Reading

Mato Grosso

Comarca de Alta Floresta abre seletivo para assistente social e profissional de Psicologia

Published

on

A juíza-diretora da Comarca de Alta Floresta (790 Km de Cuiabá), Milena Ramos de Lima e Souza Paro, anuncia a abertura do processo seletivo para credenciamento de pessoas físicas nas áreas de Serviço Social e Psicologia. A inscrição deve ser realizada de 22 de agosto a 02 de setembro, exclusivamente pelo endereço eletrônico: alta.floresta@tjmt.jus.br.
 
De acordo com a magistrada, inscrição feita fora desse período será considerada como extemporânea e sem validade qualquer. Doutora Milena Ramos destaca que não haverá cobrança de taxa, não serão aceitas outras formas de inscrições e que cada candidato deve fazer apenas uma inscrição.
 
Entre os requisitos para o credenciamento de assistentes sociais e psicólogos, conforme o Edital 01/2022, é necessário ser maior de 2 1 anos; não possuir antecedentes criminais e não exercer cargo público inacumulável. Os candidatos também devem ser bacharéis em Serviço Social e/ou Psicologia, devidamente reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC) e com registro nos respectivos Conselhos Regionais.
 
 
Álvaro Marinho
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Leia mais:  Governador acompanha início das obras de recuperação asfáltica em Várzea Grande

Comentários Facebook
Continue Reading

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2018 - REDE CENTRO NORTE DE COMUNICAÇÃO LTDA-ME - CNPJ: 34.052.986/0001-65 | Peixoto de Azevedo - MT
Desenvolvido por InfocoWeb - 66 9.99774262