Connect with us


A geleia Cyber Clean pode ser usada em qualquer canto mais difícil do carro, mas não funcionou muito bem
Divulgação

A geleia Cyber Clean pode ser usada em qualquer canto mais difícil do carro, mas não funcionou muito bem

Na hora de dar aquela caprichada no interior do carro, quem nunca teve dificuldades para limpar aqueles cantinhos mais apertados onde o bico do aspirador ou a escova não conseguem alcançar? A promessa da vez é do Cyber Clean, uma espécie de geleia que promete remover qualquer tipo de sujeira e poeira nos cantos mais difíceis do carro.

Com patente suíça, o produto é vendido pela internet em embalagens de 75 e 145 g. No site, as únicas informações são através das fotos que indicam os locais onde o Cyber Clean pode ser utilizado como volante, botões, painel, saídas de ar e alavanca de câmbio encaixando nos locais  de mais difícil acesso grudando e removendo a sujeira e a poeira das superfícies sem deixar resíduo.

Leia mais:  Primeira Ferrari SF90 Spider chega ao Brasil por R$ 8,4 milhões

Com esta proposta, resolvemos comprar a versão de 75 g e testar e ver até onde vai a eficiência do produto. Como cobaia, utilizamos duas cobaias ( Honda Fit 2010 e BMW 325 i 1994) com painéis bem empoeirados, na parte das saídas de ar.

A primeira falha notada do Cyber Clean é que na embalagem não há nenhum tipo de instrução de uso e cuidados em português. Com o produto em mãos, aplicamos o produto nos cantinhos mais difíceis possíveis como saídas de ventilação, telas de alto-falante, botões e interruptores, canaletas de vidros, fechos de cinto de segurança e alavanca de câmbio.

Basta pressionar a geleia na área a ser limpa e depois puxá-la, porém o resultado não foi animador, mesmo nas áreas, aparentemente, mais fáceis de limpar. Durante os testes, percebemos também que ao contrário da promessa, deixou pequenos resíduos do Cyber Clean, quando o puxamos das telas dos alto-falantes, sendo necessário removê-los com a ajuda de um palito de dente. Custando 25 reais a embalagem de 75 g do Cyber Clean, o veredicto é que existem outras ferramentas mais baratas (um pincel de cerdas longas custa entre 8 e 10 reais), e que limpam com mais eficiência e rapidez no serviço.

Leia mais:  Honda apresenta a nova geração do SUV HR-V, que estreia em agosto

CYBER CLEAN

PREÇO MÉDIO: R$ 24,90

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Advertisement

Carros e Motos

Mini traz 15 unidades da série Pat Moss Edition do John Cooper Works

Published

on


Nome de Pat Moss é uma homenagem a piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em  uma prova de rali
Divulgação

Nome de Pat Moss é uma homenagem a piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em uma prova de rali

A Mini anuncia que vai trazer ao mercado brasileiro a série especial do John Cooper Works batizada de Pat Moss, em homenagem à piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em um rali internacional, há 60 anos.

De acordo com a fabricante inglesa, o modelo tem apenas 800 unidades espalhadas em todo o mundo, sendo que apenas 15 serão destinadas para pré-venda no Brasil ao preço de R$ 318.390 , com as primeiras entregas programadas para setembro. 

Disponibilizada na cor Preto Midnight para a carroceria e teto multitone de três cores (Preto Jet, Cinza Melting e Vermelho Chili), o hatch agrega faixa branca no capô além da assinatura da Pat Moss no para-choque dianteiro. 

Leia mais:  Fábrica da VW é modernizada para produção do Polo Track em 2023

Por dentro, além da assinatura da piloto, há também sistema de som da renomada Harman/Kardon , head up display , painel digital, central multimidia touchscreen de 8,8 polegadas e sistema de navegação integrado.

O motor é biturbo de 2,0 litros de quatro cilindros de 231 cv e torque de 32,63 kgfm e a transmissão de 8 velocidades. Segundo a fabricante, de 0 a 100 km/h são feitos em 6,1 segundos e a velocidade máxima é de 246 km/h.

Pat Moss e a navegadora, Ann Wisdom venceram no Rally de Monte Carlo em 1964, 1965 e 1967 e décadas depois, a vitória geral no Paris-Dakar quatro vezes seguidas (2012 e 2015), além de mais duas gerais (2020 e 2021).

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue Reading

Carros e Motos

Kawasaki terá motos elétricas baseadas nos modelos Z125 e Ninja 125

Published

on


Kawasaki EV Project: marca japonesa também se rende à nova era da eletrificação com novos modelos nos planos
Divulgação

Kawasaki EV Project: marca japonesa também se rende à nova era da eletrificação com novos modelos nos planos

A era da eletrificação aos poucos está abocanhando o segmento das motos e nem mesmo os modelos de apelo emocional estão escapando da tecnologia que veio para ficar.

Uma prova desta teoria está no anúncio feito no final de 2021 pelo CEO da Kawasaki, Hiroshi Ito, confirmando que 2022 seria o ano em que a empresa entraria no mercado de motos elétricas .

A Kawasaki é uma das marcas mais tradicionais e que agora vem investindo cada vez mais em projetos voltados para a eletromobilidade. Documentos publicados no site da National Highway Traffic Safety Administration nos EUA reforçam que a empresa japonesa vem trabalhando em duas motos elétricas para 2023 de codinome ‘NX011AP’ e ‘NR011AP’.

Leia mais:  Toyota firma parceria com Sem Parar

A designação segue o padrão usual da Kawasaki, com ‘X’ no segundo lugar usado para denotar uma moto esportiva e ‘R’ para um roadster nake (sem carenagem), mas o ‘N’ inicial é novo e significa ‘Elétrico’ no protocolo de nomenclatura da Kawasaki.

De acordo com o documento no site da NHTSA cada um deles produzirá 11kW (15cv) , e pelas imagens, serão máquinas mecanicamente idênticas, diferenciando-se apenas por uma ser carenada e outra sem carenagens (naked), nos moldes da Z125 e da Ninja 125 , mas com energia elétrica.

Os nomes dos modelos de showroom ainda não são conhecidos, mas a Kawasaki já registrou os títulos Ninja E2 e Ninja E2-R. Tudo será revelado na íntegra ainda este ano, provavelmente na feira EICMA de novembro em Milão , onde o protótipo elétrico apareceu pela primeira vez três anos atrás.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue Reading

Carros e Motos

Brasileiro está mais aberto a veículos com novas tecnologias

Published

on

Barreiras para carros eletrificados no Brasil ainda grandes, mas aos poucos o pais vai ganhando infraestrutura
Divulgação

Barreiras para carros eletrificados no Brasil ainda grandes, mas aos poucos o pais vai ganhando infraestrutura

Uma pesquisa realizada pela McKinsey & Company revelou que os brasileiros estão mais abertos a carros com motorizações tecnológicas do que habitantes de países chamados “desenvolvidos”.

O estudo ainda apurou que existem quatro fatores que podem auxiliar a eletromobilidade no Brasil: Incentivos regulatórios, consumidores, tecnologia e infraestrutura.

“O brasileiro tem um apetite enorme por novas tecnologias e nosso estudo identificou que, no país, existe uma intenção de adoção acima da média de países desenvolvidos”, afirma Felipe Fava, líder do centro da mobilidade do futuro da McKinsey na América Latina.

Segundo Fava, além do desejo e do interesse do público por esse tipo de veículo, a preocupação ambiental e o surgimento de novas soluções em mobilidade são fatores importantes para a consolidação da eletromobilidade e também outras formas de se locomover pelas cidades.

Segundo estudo da McKinsey & Company, 39% do público pretende utilizar a eletromobilidade
Divulgação

Segundo estudo da McKinsey & Company, 39% do público pretende utilizar a eletromobilidade

Um exemplo é que 70% dos entrevistados consideram serviços de veículos por assinatura, principalmente pela possibilidade de explorar diferentes tipos de soluções de mobilidade (21%) e por redução de custos totais de propriedade (18%).

Leia mais:  Honda apresenta a nova geração do SUV HR-V, que estreia em agosto

“Notamos que os interessados pela eletrificação de veículos não veem mais motivo em serem proprietários de um veículo. O interesse é mais em ter acesso a um carro, uma mobilidade compartilhada, do que sem ser o dono do meio de transporte”, diz.

Além disso, 39% do público ouvido pela pesquisa afirma que pretende utilizar mais meios de locomoção de micromobilidade , como patinetes elétricos e bicicletas, nos próximos 10 anos.

Felipe Fava estará presente no C-MOVE – Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos , previsto para ocorrer nos dias 1 e 2 de setembro, no Expo Center Norte, em São Paulo, simultaneamente ao VE Latino Americano, que é o Salão da Mobilidade Elétrica.

No dia 1º de setembro Fava irá realizar uma apresentação que abordará não só o interesse dos brasileiros em carros eletrificados , mas também tendências de mercado, e oportunidades de ganhos econômicos em diversos setores que a eletrificação pode proporcionar.

“A ideia é tratarmos, de maneira ampla, os benefícios que a adoção de veículos eletrificados pode trazer ao País. Há espaço de desenvolvimento em diversas áreas e temos que explorar as possibilidades de forma planejada”, afirma Ricardo Guggisberg, presidente da MES Eventos, organizadora do C-MOVE

Leia mais:  Citroën amplia rede de concessionárias com foco na eletrificação

O C-MOVE acontece simultaneamente ao VE – Veículo Elétrico Latino-Americano. O evento, que é conhecido como o Salão da Mobilidade Elétrica , visa apresentar as principais tendências e novidades em eletromobilidade, reunindo setores como veículos elétricos Pesados, Leves, Levíssimos, além de Componentes, Infraestrutura e Serviços.

Segundo levantamento recente da FENABRAVE – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, os emplacamentos de automóveis e comerciais leves eletrificados cresceram quase 35% nos sete primeiros meses de 2022, na comparação com o mesmo período do ano passado. 

E de acordo com o acompanhamento mensal da ABVE (Associação Brasileira do Veículo elétrico) , o Brasil superou a marca de 100 mil veículos leves eletrificados comercializados.

Em 2021, o VE recebeu 4,3 mil visitantes e contou com mais de 40 empresas expositoras, enquanto o C-MOVE teve a participação de 130 especialistas, que apresentaram 27 horas de conteúdo para mais de 300 congressistas. A expectativa para 2022, segundo Guggisberg, é que o VE receba 10 mil visitantes e tenha 60 empresas expositoras.

Serviço

VE e C-MOVE

VE: 1 a 3 setembro, das 13h às 20h

C-MOVE: 1 e 2 de setembro, das 9h às 18h Pavilhão Amarelo – Expo Center Norte – São Paulo, SP Rua José Bernardo Pinto, 333 Vila Guilherme, São Paulo – SP

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue Reading

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2018 - REDE CENTRO NORTE DE COMUNICAÇÃO LTDA-ME - CNPJ: 34.052.986/0001-65 | Peixoto de Azevedo - MT
Desenvolvido por InfocoWeb - 66 9.99774262