Home » Delegado e investigador são presos em operação contra esquema de corrupção passiva em MT

Delegado e investigador são presos em operação contra esquema de corrupção passiva em MT

por Joao Silvestri
delegado-e-investigador-sao-presos-em-operacao-contra-esquema-de-corrupcao-passiva-em-mt

GABINETE DO CRIME’

Publicado em

17 de abril de 2024

GERAL

Foto: Divulgação

Um delegado e um investigador de polícia do município de Peixoto de Azevedo, foram presos preventivamente nesta quarta-feira (17), durante a Operação Diaphthora, que investiga o envolvimento de policiais civis, advogados e garimpeiros em um esquema de corrupção passiva, associação criminosa, advocacia administrativa e assessoramento de segurança privada.

Ao todo, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva, sete de busca e apreensão e três medidas cautelares. Segundo a Polícia Civil, as investigações começaram depois de denúncias que apontavam o envolvimento dos servidores e garimpeiros e que caracterizavam uma associação criminosa no município.

De acordo com a polícia, todos os esquemas levam à conclusão de que existia um “gabinete do crime”.

Entre os crimes praticados pela associação criminosa, estão o pagamento de vantagens indevidas para liberação de bens apreendidos, exigência de pagamento de “diárias” para hospedagem de presos no alojamento da delegacia e pagamentos mensais sob a condição de decidir sobre procedimentos criminais em trâmite na unidade policial.

NOME DA OPERAÇÃO

O nome da operação faz referência ao termo grego de corrupção, cujo significado está atrelado à ideia de um organismo vivo que entra no corpo humano causando destruição dos órgãos. Segundo a Polícia Civil, são as consequências da corrupção quando praticada por servidores públicos e seus efeitos desastrosos no órgão público, ferindo a integridade pública.

MT NOTÍCIAS

GERAL

Colisão entre caminhão e picape mata três servidoras públicas de prefeitura

Publicados

3 minutos atrás

em

17 de abril de 2024

Foto: Divulgação

Três servidoras públicas da Prefeitura de Tapurah morreram na manhã desta quarta-feira (17) em um grave acidente de trânsito, ocorrido na MT-249, em um trecho conhecido como “Sem Terra”. As vítimas estavam em uma caminhonete Hilux oficial da prefeitura, que colidiu com um caminhão carregado de soja e capotou em seguida.

Informações preliminares são de que as servidoras estavam a caminho da cidade de Tangará da Serra para realização de um trabalho. Apenas uma das vítimas foi identificada até o momento. Trata-se da assistente social, Vanessa Magri.

Pelas imagens que circulam nas redes sociais, a colisão entre os dois veículos foi frontal. A Hilux ficou completamente destruída, às margens da pista. Já o caminhão teve parte da carga espalhada na pista. Não há informações sobre o estado de saúde do condutor.

Por meio de nota, a Prefeitura de Tapurah pediu cautela com as divulgações sobre os nomes das vítimas do acidente, uma vez que os familiares, tampouco a confirmação de todas as mortes, foram esclarecidas.

“Gostariamos de chamar a atenção de todos para a sensibilidade da situação em que nos encontramos. O recente acidente envolvendo servidores da prefeitura de Tapurah é motivo de grande preocupação para todos nós. Nesse sentido, pedimos encarecidamente que tenhamos cautela ao compartilhar imagens ou informações sobre o incidente. É fundamental respeitar a privacidade das pessoas envolvidas e evitar qualquer exposição que possa causar constrangimento ou impacto emocional desnecessário às famílias e aos colegas de trabalho”, diz trecho do comunicado.

“Vamos priorizar a apuração correta dos fatos e aguardar orientações oficiais da prefeitura sobre quaisquer comunicados públicos a respeito do ocorrido”, finaliza o pedido.

MAIS LIDAS DA SEMANA

você pode gostar