conecte-se conosco


Mato Grosso

Em Mato Grosso, 27 municípios estão com risco muito alto de contaminação pela Covid-19

Publicado


A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) divulgou, nesta terça-feira (15.06), o Boletim Informativo n° 464 com o panorama da situação epidemiológica da Covid-19 em Mato Grosso.

O documento mostra, a partir da página 11, que 27 municípios registram classificação de risco muito alto para o coronavírus. São eles: Água Boa, Araguainha, Arenápolis, Barra do Bugres, Barra do Garças, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Campo Verde, Cláudia, Confresa, Guiratinga, Itanhangá, Juína, Lucas do Rio Verde, Luciara, Nova Mutum, Peixoto de Azevedo, Primavera do Leste, Rondonópolis, Santa Rita do Trivelato, Santo Antônio do Leste, São José do Povo, Sapezal, Sorriso, Tangará da Serra, Torixoréu e Vila Rica.

Outras 114 cidades estão classificadas na categoria alta para a contaminação do coronavírus. Nenhum município foi classificado com risco moderado ou baixo para a Covid-19.

Novo método para classificação

O método para definir a classificação de risco dos municípios foi aprimorado. A mudança foi publicada no Diário Oficial do dia 25 de março de 2021. Desde então, não é levado em consideração apenas o número absoluto dos casos dos últimos quatorzes dias, mas sim a média móvel dos últimos quatorze dias.

Assim, o município não sofrerá uma mudança brusca de um boletim para o outro; a cidade ficará na mesma categoria por pelo menos duas semanas, conforme sua média móvel de casos.

Leia mais:  Sema apresenta dados ao Banco Mundial e comprova redução de 27% no desmatamento ilegal

Também foi aperfeiçoado o cálculo dos casos acumulados. Antes eram considerados os casos acumulados a partir do dia 1º de dezembro de 2020. Com a nova metodologia, a análise será realizada sempre com base nos casos acumulados dos últimos 90 dias.

Confira as medidas de acordo com a classificação de risco:

•             Nível de Risco ALTO

a) implementação e/ou manutenção de todas as medidas previstas para os Níveis de Risco BAIXO e MODERADO;

b) proibição de qualquer atividade de lazer ou evento que cause aglomeração;

c) proibição de atendimento presencial em órgãos públicos e concessionárias de serviços públicos, devendo ser disponibilizado canais de atendimento ao público não presencial;

d) adoção de medidas preparatórias para a quarentena obrigatória, iniciando com incentivo à quarentena voluntária e outras medidas julgadas adequadas pela autoridade municipal para evitar a circulação e aglomeração de pessoas.

•             Nível de Risco MUITO ALTO

a) implementação e/ou manutenção de todas as medidas previstas para os Níveis de Risco BAIXO, MODERADO e ALTO;

b) quarentena coletiva obrigatória no território do Município, por períodos de 10 (dez) dias, prorrogáveis, mediante reavaliação da autoridade competente, podendo, inclusive, haver antecipação de feriados para referido período;

Leia mais:  Ações de monitoramento evitam incêndios florestais de grandes proporções em Mato Grosso

c) suspensão de aulas presenciais em creches, escolas e universidades;

d) controle do perímetro da área de contenção, por barreiras sanitárias, para triagem da entrada e saída de pessoas, ficando autorizada apenas a circulação de pessoas com o objetivo de acessar e exercer atividades essenciais;

e) manutenção do funcionamento apenas dos serviços públicos e atividades essenciais;

§1º Atingida determinada classificação de risco, as medidas de restrição correspondentes devem ser aplicadas por, no mínimo, 10 (dez) dias, ainda que, neste período, ocorra o rebaixamento da classificação do Município.

§2º Os municípios contíguos devem adotar as medidas restritivas idênticas, correspondentes às aplicáveis aquele que tiver classificação de risco mais grave.

§3º Os Municípios poderão adotar medidas mais restritivas do que as contidas neste Decreto, desde que justificadas em dados concretos locais que demonstrem a necessidade de maior rigor para o controle da disseminação do novo coronavírus.

Art. 6º O funcionamento de parques públicos estaduais seguirá as restrições estabelecidas pelos Municípios em que se encontrem e, na ausência de normas a este respeito, poderão ser utilizados, desde que observado o distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas, ficando vedado o acesso sem o uso de máscara de proteção facial.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Governo exigiu carta de representação e não seguiu com tratativa de compra de vacina

Publicado


O Governo de Mato Grosso esclarece que foi feito contato apenas por e-mail, em março, por Helder Mello, que se apresentou como representante da empresa Davati Medical Supply. O e-mail foi encaminhado para secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, com oferta de vacinas contra a Covid-19 da fabricante Johnson & Johnson.

Em uma única resposta, o secretário requereu a Carta de Representação da empresa com a fabricante.

O documento é condição obrigatória para que o Estado inicie qualquer negociação de compra de vacina, por se tratar de instrumento comprobatório e de segurança jurídica de que seja de fato uma empresa credenciada à fabricante e não apenas de intermediários.

Como a carta não foi apresentada, o governo não deu sequência a nenhuma tratativa com a empresa, seja de preço ou forma de pagamento, e não respondeu a mais nenhum e-mail.

O governo ainda reforça que nenhum contato foi feito diretamente ao governador Mauro Mendes.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Gefron registra aumento e recupera em média um carro por dia na fronteira
Continue lendo

Mato Grosso

Governo de MT já pactuou 99,9% das doses recebidas; veja quanto cada município aplicou

Publicado


O Governo de Mato Grosso recebeu, até a manhã desta quarta-feira (04.08), 2.730.710 doses das vacinas contra Covid-19 do Ministério da Saúde e já pactuou a distribuição de 2.729.801 doses aos 141 municípios do Estado, ou seja, 99,9% do total recebido.

O Estado reteve as doses de vacina que são destinadas para segunda aplicação e devem ser distribuídas próximas da vacinação.

A disponibilização das doses é resultado da soma da primeira e segunda doses (2.555.978), acrescida das doses destinadas às populações indígenas aldeadas (54.120) e dos arredondamentos técnicos (6.367) necessários para o ajuste volumétrico dos frascos disponibilizados pelo Ministério da Saúde.  

Das 2.562.345 doses retiradas pelos municípios, as prefeituras aplicaram 2.127.395 (83%), sendo 1.628.225 como primeira dose ou dose única e 499.170 como segunda dose. O percentual da semana passada era de 80%.

Os 10 municípios que mais aplicaram vacinas, considerando o percentual de doses aplicadas em relação às doses recebidas, foram: Novo Mundo (99%), Nortelândia (98%), Campos de Júlio (98%), Santa Terezinha (98%), Planalto da Serra (97%), Sapezal (96%), Jaciara (95%), Diamantino (95%), Conquista D’Oeste (94%) e Tangará da Serra (94%).

Leia mais:  Nota de Esclarecimento

Confira o ranking completo de aplicação das vacinas no Boletim Informativo nº 514 ou no Painel de Distribuição de vacinas Covid-19.

Considerando as vacinas destinadas à população indígena, alguns municípios podem contabilizar as doses aplicadas em aldeias pertencentes a territórios vizinhos e ultrapassar o limite de 100% da aplicação.

A Vigilância Estadual alertou que a utilização de unidades de segunda dose como primeira dose pode comprometer o esquema vacinal da população do município, considerando o fornecimento e as orientações feitas pelo Ministério da Saúde.

Sobre a distribuição

Na força-tarefa da vacinação, cabe ao Governo do Estado fazer a logística de distribuição, que é definida pela Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT), composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

A escolta dos materiais até os 14 polos de distribuição é feita pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal e do Ministério da Defesa. O Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) também disponibiliza sua frota aérea para dar celeridade à distribuição.

Leia mais:  Ações de monitoramento evitam incêndios florestais de grandes proporções em Mato Grosso

É importante ressaltar que o Governo Federal define o total de doses que cada estado recebe. Essa definição ocorre de acordo com a quantidade de pessoas que pertencem aos grupos prioritários e não pela quantidade absoluta da população.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Várzea Grande reativa GGI para estratégias de prevenção e combate à violência

Publicado


Várzea Grande reativou na manhã desta quarta-feira (04.08) o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) municipal reunindo as forças de segurança, Prefeitura, além da sociedade civil organizada para deliberar sobre as ações de segurança pública na cidade, definindo o que é prioridade na elaboração das políticas públicas.

Este é o sétimo município de Mato Grosso tem o GGI instalado e faz toda a diferença ter essa articulação direta entre os membros para um combate eficaz ao crime e aos problemas de segurança pública. Além de Várzea Grande, os municípios de Sorriso, Rondonópolis, Comodoro, Aripuanã, Campo Novo do Parecis e Cáceres tem o Gabinete de Gestão Integrada instalado e atuante.

Na esfera estadual, o GGI é presidido pelo secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, e formado pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Politec, Sistema Penitenciário, Polícia Judiciária Civil, Sistema Socioeducativo e o Detran e todos os meses deliberam sobre as ações de cada instituição e analisam os dados estatísticos do Observatório de Segurança Pública para deliberarem ações de prevenção e combate ao crime.

Leia mais:  Nota de Esclarecimento

Dentro do GGI há ainda as câmaras temáticas de violência contra a mulher e a de trânsito. A Patrulha Maria da Penha e a realização de Operações Lei Seca Integradas partiram de discussões e sugestões das câmaras e são postas em prática trazendo resultados positivos. As câmaras temáticas têm participação de órgãos como Tribunal de Justiça, Ministério Público, Polícia Rodoviária Federal, dentre outros.

“Há temas que são sensíveis ao município e que não estão ao alcance da Secretaria de Segurança, mas que são enxergados pelo prefeito, pelo comerciante local. Tenho certeza que ao instalar o GGI, onde a gente pode focar os problemas pontuais do município, nós vamos mitigar e melhorar cada vez mais a segurança em Várzea Grande”, destacou o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

O prefeito de Várzea Grande, Khalil Baracat, destacou o GGI será uma forma de aproximar a sociedade dos problemas de Segurança Pública, com esse espaço onde todos os integrantes têm vez e voz.

“Foi criado para que sejam discutidas pautas importantes da Segurança Pública, Várzea Grande avançou muito e o GGI é participativo e a gente acredita que esse é o caminho que nos fará avançar muito no tema”.

Leia mais:  Governo do Estado lança campanha para incentivar turismo em Mato Grosso

Participaram da reunião todos os integrantes do GGI e na primeira reunião foi discutido a formação, os representantes de cada órgão.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

BRABINHO OURO INFORMA

R$ 308,54

Peixoto de Azevedo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Política Nacional

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - REDE CENTRO NORTE DE COMUNICAÇÃO LTDA-ME - CNPJ: 34.052.986/0001-65 | Peixoto de Azevedo - MT
Desenvolvido por InfocoWeb - 66 9.99774262