Home » Governo de MT investe em projeto-piloto que garantirá produção e venda de gengibre e açafrão

Governo de MT investe em projeto-piloto que garantirá produção e venda de gengibre e açafrão

por Joao Silvestri
governo-de-mt-investe-em-projeto-piloto-que-garantira-producao-e-venda-de-gengibre-e-acafrao

EM ASSENTAMENTO RURAL

Publicado em

17 de abril de 2024

GERAL

Foto: Divulgação

A Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia (Seciteci), em parceria com o Instituto Brasil, está colocando em prática um projeto-piloto para a produção de gengibre e açafrão e construção de uma unidade de processamento dessas raízes, no Assentamento Capão das Antas, localizado em Nossa Senhora do Livramento.

A iniciativa surgiu do resultado de uma pesquisa do Instituto Brasil que apontou produção insuficiente de gengibre e açafrão em Mato Grosso. O projeto elaborado pela instituição, que visa melhorar a renda das famílias, obteve apoio financeiro do Governo do Estado.

O projeto teve início em setembro de 2023 e já está com 100% dos rizomas, raízes e sementes, adquiridos em Minas Gerais, plantados.

O secretário de Ciência e Tecnologia de Mato Grosso, Allan Kardec, afirmou que a iniciativa é fundamental tanto para a geração de renda das famílias locais quanto para a economia estadual. “O Governo do Estado não mede esforços para apoiar projetos que fomentem o desenvolvimento sustentável e a diversificação econômica em nosso estado”, disse.

Recentemente, uma equipe da Secretaria Estadual de Agricultura Familiar (Seaf) foi até o Assentamento Capão das Antas para conhecer o projeto e verificar a viabilidade de implantação de um sistema de irrigação na plantação de gengibre e açafrão no período de poucas chuvas.

“Estamos investindo em tecnologias de irrigação eficientes para garantir a sustentabilidade e o aumento da produtividade agrícola em nossa região, com o projeto de irrigação. Desde 2019, já foram entregues 500 kits de sistema de irrigação desde 2019”, destacou o secretário de Agricultura Familiar de Mato Grosso, Luluca Ribeiro.


Foto: Arquivo pessoal

A presidente do Instituto Brasil, Clair Velozo, explicou que as famílias do assentamento escolhido para fase piloto conta com o suporte de uma equipe de profissionais, composta por bioquímico, agrônomo e farmacólogo, para garantir a conformidade com as regulamentações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo ela, a produção já está com a venda garantida para uma indústria.

“Um compromisso de compra de toda a produção já foi estabelecido com uma indústria, além dos planos para venda de produtos in natura. As plantações estão em progresso, e a primeira colheita é esperada para o primeiro semestre de 2025”, explicou.

A unidade de processamento, encarregada de lavar e transformar os produtos em pó e outras formas, está quase concluída.

Atualmente, 35 famílias estão envolvidas, com a expectativa de que esse número aumente para 120.

MT NOTÍCIAS

GERAL

Ciclista morre em acidente entre ônibus e triciclo em Cuiabá

Publicados

13 horas atrás

em

19 de abril de 2024

Um ciclista de 40 anos morreu após um acidente entre um ônibus e um triciclo em Cuiabá, nessa quinta-feira (18). A vítima foi identificada como Cláudio Aparecido da Silva Cruz.

Segundo a Polícia Civil, o acidente ocorreu por volta das 20h30, no Bairro Arueira. O motorista do ônibus colidiu com a vítima e fugiu do local. A equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no local e confirmou a morte da vítima.

Ainda de acordo com a polícia, o motorista do ônibus se apresentou no Comando Geral da Polícia Militar, disse que não viu o ciclista trafegando na pista por causa da garoa e só ouviu o barulho da colisão. Ele contou às equipes que ligou para o 190, mas que fugiu do local por desespero.

Foi realizado o teste de bafômetro no motorista, que resultou negativo para o consumo de álcool.

Uma vizinha da vítima, Susy Miranda, explicou que Cláudio morava na região há cerca de 20 anos, desde que o bairro foi criado. Ainda segundo ela, Cláudio possuía necessidades especiais e características de deficiência intelectual.”O apelido dele aqui no bairro era de ‘coruja’, porque ele era muito espertalhão, não existia tristeza com ele, vai deixar saudades…”, disse.

você pode gostar