conecte-se conosco


Carros e Motos

Hyundai Creta Ultimate e Nissan Kicks XPlay: compactos, mas especiais

Publicado


source
Hyundai Creta e Nissan Kicks conseguem se diferenciar entre o mar de SUVs que está nas ruas hoje em dia
Cauê Lira

Hyundai Creta e Nissan Kicks conseguem se diferenciar entre o mar de SUVs que está nas ruas hoje em dia

Diante de tanto SUV que tem no mercado hoje em dia, que tal escolher um que procura de diferenciar um pouco do rebanho? É o caso da dupla Hyundai Creta Ultimate (R$ 167.890) e Nissan Kicks XPlay (R$ 134.890). O primeiro é versão topo de linha, com motor 2.0 aspirado e o outro a edição limitada em 1.350 unidades.

Se a ideia é não economizar no conforto, o Hyundai Creta Ultimate conta com itens incomuns para o segmento, como revestimento de couro de dois tons, acabamento do painel emborrachado e com textura caprichada que até simulam costuras como se também fosse revestido. Além disso, o assento do motorista tem ventilação e todos são perfurados.

No Kicks XPlay , o que chama atenção é o pacote exclusivo que inclui vários detalhes de acabamento em vermelho nas saídas de ar, na base do volante e nas costuras duplas do painel , do apoio de braço e dos bancos com acabamento sintético em preto e cinza.

Há também itens como carregador sem fio para celular, tela de abertura especial que remonta à edição limitada no multimídia Nissan Connect com tela sensível ao toque de 8 polegadas.

Por dentro do Hyundai, a central multimídia é um maior, com 10,25 polegadas, com melhor resolução, mas não tem funcionamento tão intuitivo e sem pareamento sem fio, embora tenha GPS nativo e três entradas USB, sendo uma para o banco traseiro.

A lista de itens de série do Creta mais equipado é bem recheada e ainda tem teto solar panorâmico, detector de fadiga, alerta de mudança indevida de faixa, piloto automático adaptativo, entre outros.

Leia mais:  Ford vai expandir seu Centro de Desenvolvimento e Tecnologia na Bahia

Apesar de ser um pouco menos sofisticado, o Nissan vem com itens interessantes, como chave presencial inteligente I-Key; botão de partida do motor; painel de instrumentos de sete polegadas em alta definição de imagens; abertura e fechamento das portas e fechamento dos vidros por controle remoto; acendimento inteligente dos faróis ; para-sol com espelhos para motorista e passageiro; porta-malas com iluminação interna e espelho retrovisor eletrocrômico.

Pelo visto, são dois SUVs compactos que fogem do comum. E têm quase o mesmo espaço interno , com 2,61 metros de entre-eixos e 422 litros no porta-malas no Creta e 432 litros no Kicks. O visual de ambos também não é nada convencional, com rodas exclusivas de aro 18 no Hyundai e pintadas de preto, de aro 17 no Nissan, que ainda tem aerofólio na traseira pintura com detalhes especiais.

Acelerando os dois SUVs diferentões

Nissan Kicks XPlay tem visual que remete à esportividade, mas não tem tanto fôlego quanto o rival com motor 2.0
Divulgação

Nissan Kicks XPlay tem visual que remete à esportividade, mas não tem tanto fôlego quanto o rival com motor 2.0

Com motor 2.0 aspirado, de 167 cv e 20,6 a altos 4.700 rpm, o Creta Ultimate mostra mais fôlego que o Kicks XPlay, com seu já bem conhecido 1.6 de 114 cv e 15,5 kgfm de torque a 4.000 rpm. No Hyundai, o câmbio é automático convencional, com conversor de torque e 6 marchas, o que favorece respostas mais rápidas que o CVT do Nissan , que faz de 0 a 100 km/h em 11,8 segundos, ante 9,3 s do rival.

Apesar de ser mais leve, o Kicks também perde na relação entre peso e potência, de 10 kg/cv ante 7,8 kg/cv do Creta 2.0. Porém, o Nissan se mostra mais à vontade nas curvas que o Hyundai , que tem um pouco mais de altura (1,63 m ante 1,59m do Kicks) e um ajuste de suspensão mais voltado ao conforto, o que acaba levando a uma maior rolagem da carroceria de um lado para o outro.

Hyundai Creta Ultimate 2022 tem traseira de visual arrojado demais para os mais conservadores
Divulgação

Hyundai Creta Ultimate 2022 tem traseira de visual arrojado demais para os mais conservadores

No Creta, os freios contam com discos nas quatro rodas , o que diminiu a chance de haver fadiga em condições extremas, mas nos dois os sistemas funcionam a contento. A visibilidade dois dois também é boa, inclusive pelos retrovisores, com bons ângulos de visão. Em ambos, faróis e lanternas funcionam com LED no lugar de lâmpadas, até mesmo os auxiliares de neblina, tanto dianteiros quantos traseiros.

Leia mais:  CAOA Chery se une à Aliança para popularizar carros elétricos

Levando em conta os dados do Inmetro, o Kicks é ligeiramente mais econômico, mas a autonomia do Creta é maior por causa do tanque pequeno do Nissan, de apenas 41 litros, ante os 50 litros do concorrente. Na cidade, o Nissan faz 7,6 km/l com etanol e 11,6 km/l gasolina, ante 7,7 km/l e 10,9 km/l do Hyundai , que pode rodar até 620 km na estrada com gasolina, contra 558 km do Nissan.

Conclusão

Ser diferente no mundo dos SUVs compactos fica em torno de R$ 30 mil mais em conta no caso do Nissan Kicks XPlay , mas o carro é uma série limitada e não é tão renquintado quanto o Hyundai Creta Ultimate . No cômputo geral, o modelo da marca japonesa vale mais a pena, já que nos demais quesitos a vantagem do rival não é tão grande. Mas é bom correr, já que restam poucas unidades à venda.

Ficha técnica

Hyundai Creta Ultimate 2.0

Preço: a partir de R$ 167.890

Motor: 2.0, quatro cilindros, flex

Potência: 157 cv (E) / 167 cv (G) a 6.200 rpm

Torque: 20,6 kgfm (E) / 19,2 kgfm (G) a 4.700 rpm

Transmissão: Automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / discos sólidos (traseiros)

Pneus: 215/55 R18

Leia Também

Leia Também

Dimensões: 4,30 m (comprimento) / 1,79 m (largura) / 1,64 m (altura), 2,61 m (entre-eixos)

Tanque: 50 litros

Porta-malas: 422 litros

Consumo gasolina: 10,9 km/l (cidade) / 12,4 km/l (estrada), com etanol e 7,7 cidade e 8,7 km/l na estrada

0 a 100 km/h: 9,3 segundos

Velocidade máxima: 190 km/h

Nissan Kicks XPlay

Preço: R$ 134.890

Motor: 1.6, quatro cilindros, flex

Potência:  114 cv  a 5.600 rpm

Torque:  15,5 kgfm a 4.000 rpm

Transmissão:  Automático, CVT, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)

Pneus:  205/55 R17

Dimensões: 4,31 m (comprimento) / 1,76 m (largura) / 1,59 m (altura), 2,61 m (entre-eixos)

Tanque: 41 litros

Porta-malas: 431 litros 

Consumo etanol: 7,6  km/l (cidade) / 9,3 km/l (estrada)

Consumo gasolina: 11,3 km/l (cidade) / 13,6 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 11,8 segundos 

Velocidade máxima: 175 km/h


Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Volkswagen e Disney se unem para divulgar série de Star Wars

Publicado

source
IA van elétrica VW D Buzz junto de R2D2 e C3PO, personagens icônicos de Star Wars
Divulgação

IA van elétrica VW D Buzz junto de R2D2 e C3PO, personagens icônicos de Star Wars

A Volkswagen anuncia uma nova parceria para divulgar a van elétrica ID Buzz . Agora, a sucessora da Kombi terá dois amigos elétricos, os robôs C3PO e R2D2 do universo de Star Wars.

Os andróides mais famosos do cinema estarão na série “Obi-Wan Kenobi”, que fará sua estréia mundial amanhã (27) no Disney+, e no vídeo de divulgação da parceria, encontram o ID Buzz no set de filmagem.

Além do vídeo, a campanha publicitária também é composta por cartazes personalizados que mostram o ID Buzz com o principal personagem da série, Obi-Wan Kenobi, estrelado por Ewan McGregor.

Obi-Wan Kenobi marca o retorno de McGregor à saga do Star Wars após 17 anos, assim como a ID Buzz, que é tratada pelos fãs e pela própria Volkswagen como sucessora da icônica Kombi .

“Ao unir forças, teremos a oportunidade de engajar novos grupos no que diz respeito à mobilidade elétrica , inovação e digitalização. Nesse sentido, estamos realmente entusiasmados em trabalhar em conjunto com algumas das melhores equipes criativas da indústria cinematográfica”, disse Klaus Zellmer, membro do Conselho de Vendas e Marketing da Volkswagen.

A parceria também marca o início de Ewan McGregor como novo embaixador da Volkswagen, fã declarado da marca, o ator participou da estréia mundial do modelo em março: “O ID Buzz realmente tem personalidade. Isso é incomum para um carro novo e coloca um sorriso no meu rosto. Eu acho que é um carro muito feliz” , declarou o ator.

A marca Volkswagen está em transição desde 2016. Como parte dessa mudança, um novo logotipo e design da marca foram introduzidos, quando a fabricante passou a concentrar seus esforços para o desenvolvimento da mobilidade elétrica.

Além disso, com a nova linguagem, a VW também está adotando novas abordagens em suas atividades de comunicação de marketing, e patrocina eventos de entretenimento e tecnologias como o festival de cinema e música South by Southwest (SXSW) que aconteceu em março de 2022 em Austin, Texas.

O VW ID Buzz será equipado com o que a marca tem de melhor atualmente, as baterias tem capacidade de 77 kWh e podem alcançar até 423 km de autonomia no ciclo WLTP e a fabricante afirma que pode carregar de 5 a 80% em 30 minutos.

Leia mais:  Jeep lança novo Renegade com o motor 1.3 e novos equipamentos

Assim como na lendária Kombi , o motor será posicionado na traseira do veículo, mas acima do eixo, e entrega 204 cv e 31,6 kgfm de torque. Inicialmente, estarão disponíveis apenas a versão de 5 lugares e uma versão de  carga, mas no futuro haverá opções de sete lugares, chassis longo e uma versão picape não foi descartada pela Volkswagen .

O ID Buzz começou a ser vendido neste mês na Alemanha e deve chegar à América do Norte no ano que vem. Com preços partindo de R$ 335.172 em conversão direta, a sucessora da Kombi é esperada para o Brasil, apesar do valor elevado.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Como é o dia a dia com um carro elétrico? Proprietário conta detalhes

Publicado

source
JAC E-JS1 é o primeiro veículo elétrico de Cleber Soares, que já rodou mais de 28 mil km com o carro
Divulgação

JAC E-JS1 é o primeiro veículo elétrico de Cleber Soares, que já rodou mais de 28 mil km com o carro

Carros elétricos já são realidade em grandes cidades do Brasil, com o mercado crescendo, mais pessoas se interessam por esses carros, mais duvidas surgem a respeito da nova tecnologia e as comparações com o carro a combustão se tornam inevitáveis.

Segundo a ABVE, o mercado de eletrificados (elétricos e híbridos) cresceu 115% no primeiro trimestre desse ano quando comparado ao mesmo período de 2021.

Os dados a NeoCharge informam que São Paulo é o estado com maior número de carros 100% elétricos com 2005 modelos emplacados, sendo que na capital esse número passa para 944 unidades, sendo o modelo XC40 Recharge, da Volvo, o mais popular na cidade com 178 emplacamentos.

Entretanto, recortando o país inteiro, o modelo 100% elétrico líder de vendas é o Nissan Leaf , com 764 unidades vendidas, mas sendo acompanhado de perto pelo Volvo XC40 .

É interessante observar também que o acompanhamento da NeoCharge mostra que o JAC E-JS1 é o 10º modelo 100% elétrico vendido no Brasil e é justamente o veículo do nosso entrevistado para essa matéria.

Conversamos com Cleber Soares, empresário de 46 anos, morador de São Paulo, para entender um pouco mais sobre a utilização prática e diária de um carro elétrico na maior cidade do país. Ele nos conta que seu JAC E-JS1 é seu primeiro carro elétrico e foi comprado em novembro no ano passado, e com seis meses rodando com o veículo, percorre cerca de 1.000 km por dia. Mas há outras questões que fizemos, como pode ser conferido a seguir. 

1Quando comprou o JAC E-JS1 levou um carregador, certo? Qual foi o critério da escolha do local para instalação?

Recebi um quando comprei o carro, da própria Jac Motors . Instalei na minha empresa em Poá, SP, onde existem poucas opções de carregamento. Meu carregador é compartilhado no aplicativo Plug & Share para atender alguma emergência de algum usuário de carro elétrico.

Minha escolha no local de carregamento levou em conta o seguinte: como posso carregar meu carro a noite em uma tomada 220V comum e consigo 150 km de autonomia em 8 horas, complemento a carga na empresa, se necessário. Às vezes passo a semana toda sem carregar na minha empresa.

2Qual foi o impacto na conta de luz que esse carregamento causou? Mesmo com isso, valeu mais a pena do que arcar com o custo de um carro a combustão?

Leia mais:  Jeep lança novo Renegade com o motor 1.3 e novos equipamentos

Ligo em uma tomada 220v e carrega 50% da bateria em 8 horas. Minha conta de luz aumentou R$ 300 por mês. Antes eu gastava mais de R$ 3 mil  mensais em combustível, troca de óleo, filtros e outras manutenções dos carros a combustão. ”  

A infraestrutura de carregadores está avançando no Brasil, mas ainda é  preciso se planejar antes de sair de casa
Divulgação

A infraestrutura de carregadores está avançando no Brasil, mas ainda é preciso se planejar antes de sair de casa

3- Alguma vez já ficou sem energia na rua, ou nunca passou por isso?

“N ão. Nunca. No carro elétrico, eu preciso encontrar uma tomada. Normalmente é mais fácil encontrar uma tomada do que um posto de gasolina em locais mais afastados. Com um carregador portátil , posso ajustar a potência de carga e carregar sem dificuldade. Fiz isso na viagem a Gramado (RS). Toda noite meu carro carregava em uma tomada 220 V na pousada que fiquei. Paguei 15 reais a mais por carga realizada no local.

O maior cuidado está durante longas viagens, onde é necessário ter planejamento e saber onde carregar o carro. Ao ter um carro elétrico passei a me preocupar em verificar antes quais seriam minhas paradas, em que postos de conveniência eu poderia parar. Tenho uma extensão dentro do porta malas caso seja necessário, não foi necessário em 6 viagens que já fiz com mais de 500 km até agora.

4Como você tem lidado com o tempo que o carro necessita para carregar durante viagens?Para viajar preciso me programar para gastar algumas horas a mais. Faço isso programando paradas para dormir em hotéis que tenham carga para carro elétrico , locais onde possa almoçar e passar mais tempo, como em shoppings ou postos de combustível com boa estrutura de conveniência.

Fiz isso ao viajar para Gramado (RS) em março de 2022. Parei na ida em Curitiba (PR), Bombinhas (SC) e Tubarão (SC), e fiz turismo nessas cidades. O dinheiro que gastaria com combustível usei para melhorar meu passeio. Foram 1.800,00 reais economizados em combustível na viagem.

5 Pode nos contar quais são os pontos positivos sentiu com os veículos elétricos após comprar o seu?

Positivamente foi o torque instantâneo, permite agilidade em qualquer situação de trânsito ou estrada. Conforto, pois não ouço motor e o carro não vibra, não troco marchas e conduzo o carro de forma muito mais tranquila. Freio regenerativo, o carro mantém consumo na cidade melhor do que na estrada, e senti que a condução no trânsito é muito mais prazerosa. Mas uma surpresa negativa é que não tenho muitas opções para carga do carro em estradas.

6Quais são os fatores que motivaram a comprar um carro elétrico no lugar de um a combustão?

A certeza que o carro elétrico é melhor do que o carro a combustão. Ele não polui o ar por onde eu trânsito, não faz barulho. Por ser uma máquina mais simples, ele é muito mais confiável . Ele não quebra, não para, não dá manutenção como um carro a combustão. É mais seguro para dirigir, pois não carrega um combustível inflamável e é mais estável nas curvas. Ele responde mais rápido em retomadas, tornando mais seguro para dirigir.

7Já chegou à conclusão que ter um carro elétrico sai mais barato do que ter um a combustão?

Sim, mais barato, pois o que eu invisto hoje no carro, recupero na economia de combustível, óleo, filtros, velas e tempo de manutenção que é incrivelmente menor do que em um carro a combustão. As baterias podem ser atualizadas em módulos.

Não há necessidade de troca de todo conjunto. Eu economizarei em 15 anos R$ 540 mil em combustível . Isso é 3 a 4 vezes o valor do próprio carro. Não faz sentido utilizar um carro a combustão.

8 Quais são os principais desafios para quem tem um carro elétrico hoje em dia no Brasil?

Pequena rede de carregamento fora de casa, dificuldade para carregar em condomínios de apartamentos, quase nenhuma estrutura para carga em estradas, falta de mão de obra especializada para manutenção de carros elétricos e falta de incentivos fiscais para uso do carro elétrico. ” 

Meu carro tem hj 28 mil km rodados e não apresentou nenhum problema de desgaste . Apenas reparei 1 vez um pneu furado, mas sei que em algum momento não terei 300 km de autonomia. 

Já conheço uma oficina especializada em manutenção de baterias em Brusque (SC). Fiz questão de conhecer o dono, que já recebe os primeiros carros híbridos que já necessitam de manutenção, como o Ford Fusion e o Toyota Prius . O carro sai como se estivesse com a bateria zero km.

O desenvolvimento de mão de obra especializada vai ocorrer conforme existir demanda. Foi assim quando a chegada do sistema de injeção eletrônica. Já existem cursos e gente séria divulgando e treinando oficinas interessadas. Espero que a mudança ocorra em breve, para o bem do nosso planeta e para os nossos bolsos.

A mão de obra especializada em carros elétricos no Brasil tende a aumentar, tranquilizando os proprietários
Divulgação

A mão de obra especializada em carros elétricos no Brasil tende a aumentar, tranquilizando os proprietários

O depoimento de Cleber é muito interessante para desmistificar muitos preconceitos que o consumidor geral de automóveis tem com os carros elétricos .

Não são muito complexos, pelo contrário, mas é necessária uma condução diferente do habitual, o motorista precisa ficar atento a outros fatores como autonomia e onde terão carregadores, ainda mais nesse momento de escassez de pontos de carga no Brasil.

A tendência é sempre de melhora na rede, mas Cleber nos mostra que sim, é possível viver com um carro elétrico e até fazer grandes viagens, mas tem que estar disposto a mudar o estilo de viajar.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Ford vai expandir seu Centro de Desenvolvimento e Tecnologia na Bahia

Publicado

source


Com a expansão do seu Centro de Desenvolvimento e Tecnologia, a Ford contará com mais 500 funcionários
Divulgação

Com a expansão do seu Centro de Desenvolvimento e Tecnologia, a Ford contará com mais 500 funcionários

A Ford vai ampliar as operações no seu Centro de Desenvolvimento e Tecnologia do Brasil, na Bahia, com a criação de 500 novas posições, o que permitirá a consolidação do centro brasileiro como um polo de exportação de projetos e conhecimento para a matriz.

De acordo com a fabricante, esse número equivale a um crescimento de 50% do time de engenharia, hoje formado por 1.500 especialistas dedicados ao desenvolvimento de projetos globais da marca.

O anúncio foi feito pelo presidente da Ford América do Sul , Daniel Justo, durante visita do governador da Bahia, Rui Costa, às novas instalações da empresa no Cimatec Park , ecossistema de inovação montado em parceria com o Senai Cimatec em Camaçari, na Bahia.

Leia mais:  Mortes com ciclistas têm queda de 13,4% em São Paulo

“O time brasileiro tem uma contribuição importante na engenharia global da Ford , desenvolvendo produtos, patentes, tecnologias e softwares que estão ajudando a moldar o futuro da mobilidade”, disse Daniel.

Além do parque tecnológico da Bahia, a estrutura inclui o Campo de Provas de Tatuí , no interior paulista.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

BRABINHO OURO INFORMA

R$ 308,54

Peixoto de Azevedo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Política Nacional

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - REDE CENTRO NORTE DE COMUNICAÇÃO LTDA-ME - CNPJ: 34.052.986/0001-65 | Peixoto de Azevedo - MT
Desenvolvido por InfocoWeb - 66 9.99774262