Home » Produção de etanol em Mato Grosso atinge recorde histórico

Produção de etanol em Mato Grosso atinge recorde histórico

por Rebeca Moraes
producao-de-etanol-em-mato-grosso-atinge-recorde-historico

Mato Grosso reafirma sua posição de destaque no cenário nacional como o segundo maior produtor de etanol do Brasil, conforme relatório divulgado pelas Indústrias de Bioenergia de Mato Grosso (Bioind-MT) e o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). O estado registrou um impressionante crescimento na produção de etanol, alcançando a marca de 5,72 bilhões de litros gerados, representando o maior aumento já registrado na região.

De acordo com os dados da pesquisa, nesta safra houve um crescimento notável de 32% em comparação à anterior, que registrou a produção de 4,34 bilhões de litros de etanol. As projeções para a safra de 2024/25 são ainda mais promissoras, estimando-se que Mato Grosso alcance a marca de 6,30 bilhões de litros do biocombustível, o que representa um aumento de 10,03% em relação à safra atual.

Desse volume, a produção de etanol a partir do milho representará a maior parte, totalizando 5,207 bilhões de litros, enquanto 1,088 bilhão de litros serão provenientes da cana-de-açúcar. Este é o primeiro ano em que Mato Grosso conquista a segunda posição no ranking nacional de produção de etanol, ficando atrás apenas de São Paulo.

O notável crescimento da produção é atribuído à expansão da capacidade produtiva das usinas, aliada à melhoria do desempenho das indústrias. Dos 5,72 bilhões de litros produzidos nesta safra, 4,54 bilhões de litros são oriundos do milho, enquanto 1,18 bilhão de litros são provenientes da moagem da cana-de-açúcar. Desse montante, 3,73 bilhões de litros são de etanol hidratado, destinado diretamente às bombas, e 1,99 bilhão de litros são de etanol anidro, utilizado como aditivo à gasolina.

[Continua depois da Publicidade]

Atualmente, Mato Grosso conta com 18 indústrias de etanol que, além de produzirem o biocombustível, geram diversos subprodutos, como óleo de milho, fertilizantes, proteína vegetal para alimentação animal, levedura, créditos de carbono e energia elétrica a partir de resíduos, consolidando assim sua posição como um importante polo de produção e desenvolvimento sustentável no país.

você pode gostar