conecte-se conosco


Agro News

Raça Araguaia: produtor membro da ‘Liga do Araguaia’ adota a agro sustentabilidade como modelo de produção

Publicado


Com o rebanho da Raça Araguaia concentrado em Mato Grosso, especialmente, em Torixoréu na divisa com o estado de Goiás, e plantéis em Rondonópolis, São Paulo e Minas Gerais, o grupo Origem Premium, tem como pilar a prática da agropecuária sustentável para aumentar a produtividade, garantir a qualidade da carne e contribuir com a redução das emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa.

Diante do crescimento populacional e aumento do poder de compra internacional a demanda por alimentos de origem animal expandiu. Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, 2015), a projeção é de um aumento de 17% na produção de carne até 2024, e leva o Brasil a vantagem, por deter o maior rebanho comercial do mundo, cerca de 209 milhões de cabeças (ABIEC, 2016), e ocupar posição de destaque como fornecedor do produto. Em contrapartida, reflete em críticas a pecuária pela emissão de gases de efeito estufa (GEE) atribuída por cientistas, pela produção entérica dos bovinos e pelo uso de fertilizantes.

Por meio do movimento ‘Liga do Araguaia’, criado em 2015 e composto por 62 propriedades rurais no estado e na região conhecida como Vale do Araguaia mato-grossense, buscam desvincular a pecuária ao desmatamento e práticas prejudiciais ao meio ambiente. O pecuarista, Raul Almeida Moraes Neto, também integrante da Liga, participou desse grupo de propriedades, monitorando a Fazenda Santa Rita (Torixoréu-MT) que possui como base do rebanho animais de Raça Araguaia, bovinos com genética desenvolvida neste rico bioma; – e obteve resultados positivos, a partir da adoção de técnicas sustentáveis, melhorias e intensificação do manejo das pastagens e dos rebanhos.
Os produtores integrantes da Liga do Araguaia têm em comum o espírito de agro sustentabilidade, ou seja, de produzir conservando. Adotamos um conjunto de tecnologias entre as quais melhorias na qualidade da pastagem, intensificação do manejo, nutrição e melhoramento genético, dessa forma reduzimos a idade do abate dos animais, as emissões de CO2 a atmosfera e garantimos a produção de uma carne classificada como premium.

Leia mais:  NOTA DE PESAR - FRANCISCO DELL OSBEL

Atualmente, o grupo de 62 propriedades reúne em torno de 150 mil hectares de pastagens, grande parte em processo de intensificação, nos quais estão apascentados aproximadamente 180 mil bovinos.

Além do ‘Projeto Carbono’ que foi concluído e mensurou a mitigação das emissões de CO2 na atmosfera pela pecuária, os produtores da Liga do Araguaia investem nos programas:
⦁ PROJETO REBANHO ARAGUAIA, em parceria com o JBS que foca otimizar a eficiência da gestão produtiva;
⦁ GARANTIA ARAGUAIA, que mensura as emissões de CO2, a gestão e o cumprimento das boas práticas agropecuárias, sociais e ambientais;
⦁ BAIXO CARBONO ARAGUAIA em cooperação com a Embrapa Gado de Corte, e tem por objetivo validar e certificar manejos que reduzem as emissões do GEE;
⦁ PROJETO CONSERV ARAGUAIA, oferece compensação financeira a propriedade com áreas de excedentes de conservação;
⦁ PROJETO RAÍZES ARAGUAIA, foca no fortalecimento do turismo ecológico, a inclusão social e econômica das comunidades do Vale do Araguaia.

Em setembro de 2015, o Brasil, na última reunião da Cúpula da ONU para o Desenvolvimento Sustentável, se comprometeu a reduzir as emissões de Gases de Efeito Estufa em 43% até 2030 (MMA, 2015). Nesse aspecto, a Liga do Araguaia, busca com as iniciativas abordar as diferentes técnicas existentes para determinar a produção de metano por bovinos, os fatores que contribuem para essa emissão e quais estratégias podem ser adotadas para minimizar os prejuízos ao meio ambiente e a sociedade atribuídos a pecuária de corte.

Leia mais:  Logística prejudica escoamento da safra no Vale do Araguaia

O trabalho realizado comprova o imenso potencial da pecuária tropical brasileira em contribuir com as questões ambientais do planeta, sendo capaz de mitigar as emissões dos GEE, a partir de pastagens bem manejadas que são capazes de retirar o CO2 da natureza e retê-lo no solo por meio do seu sistema radicular.

Comentários Facebook
publicidade

Agro News

Grupo Origem Premium investe na pecuária de precisão para elevar a produtividade

Publicado


Com um produto competitivo à disposição, você pode elevar a produtividade e assegurar bons resultados! Ter informações precisas para tomar decisões, vender e comprar animais de forma eficiente e ainda, aumentar a lucratividade do negócio, esse é o propósito do Grupo Origem Premium que investe na pecuária de precisão para elevar a produtividade.

Os animais de Raça Araguaia possuem genética exclusiva, desenvolvida por meio da tecnologia de reprodução, melhoramento genético e rigorosa seleção a campo.

Diminuir os custos operacionais é possível adotando práticas capazes de otimizar toda a linha produtiva de sua propriedade. Ao estabelecer um controle maior sobre o que produz a Origem Premium o ajuda a identificar gargalos operacionais para prospectar novos negócios no mercado pecuário, sendo o ganho de produtividade um dos benefícios notáveis para os criadores da Raça Araguaia.

A Raça Araguaia possui características específicas de precocidade, produtividade, qualidade, adaptação e rusticidade.

Na Fazenda Santa Rita, em Torixoréu, no Mato Grosso, o criador e um dos fundadores da Origem Premium, Raul Almeida Moraes Neto, aposta na tecnologia e em técnicas de gestão empresarial, por meio de um protocolo que determina o uso de pastagens de qualidade, o bem-estar animal e o controle sanitário, eficiência na produção pecuária que contribui para a sustentabilidade e torna o processo mais eficiente, ao produzir mais alimento em harmonia com o meio ambiente.

“Na nova configuração produtiva, produzir e conservar são ações correlatas e sinérgicas. Para produzir mais eu tenho que investir em aumento da oferta de alimento, principalmente pastagens, o crescimento das pastagens retira o CO2 da atmosfera para compor os seus tecidos, protege o solo contra a insolação direta, cria um micro ambiente favorável as bactérias do solo, que por sua vez, também, contribuem para a melhoria atmosférica e do meio ambiente. A produtividade na pecuária está muito correlacionada ao encurtamento do ciclo produtivo do animal, esse encurtamento mitiga (diminui) as emissões dos gases do efeito estufa. Os gases produzidos são capturados pelo ambiente produtivo, através do crescimento vegetativo das pastagens e das reservas florestais que compõem a fazenda”.

Com informações precisas à disposição, o Grupo Origem Premium viabiliza a tomada de decisão fundamentada em análise de dados e estudos freqüentes, que resultam no desenvolvimento da pecuária bovina de corte e contribuem para fortalecimento da economia nacional, permitindo à atividade, se consolidar no mercado internacional pela competitividade, a partir dos índices crescentes de produtividade e qualidade.

A precocidade reprodutiva e produtiva dá mais peso na desmama, torna os animais férteis em bem menos tempo e também encurta o ciclo de recria e engorda do gado.

A pecuária de precisão tem se apresentado como um avanço no campo. O grupo adota um modelo de gestão com metas de produtividade e redução de custos, para garantir bons negócios ao setor e ao gestor. Com o mercado interno enfrentando o aumento nos preços de insumos, associada à redução do preço de comercialização, somado, ao cenário do mercado externo, que apresenta recordes quanto à exportação de carne bovina, é necessário investir em modernas técnicas de manejo, mensuração de desempenho e redução dos custos de produção. Desse modo, o Grupo Origem Premium pode melhorar o processo de gestão e auxiliar na maximização dos recursos e na continuidade de seu negócio, destaca o médico veterinário e sócio-diretor da empresa, Alexander Estermann.

“O grande papel da Origem Premium está na revisão dos processos de produção, no encurtamento dos elos da cadeia produtiva, e no aumento da eficiência, através da eliminação do desperdícios ao longo dessa cadeia. Buscamos este encurtamento em seus diversos aspectos, enxugando esse modelo de produção para reduzir custos, e assim, mantermos a competitividade, inclusive, em momentos adversos como esse que enfrentamos agora. Esse é um momento complexo do mercado, vivenciamos uma crise provocada pela incerteza da economia, pelas questões climáticas, pela alta da matéria prima, passamos por uma inflexão da curva na oferta de animais, sendo um momento muito delicado, e uma perda do poder aquisitivo muito grande por parte do consumidor, tanto do mercado interno, quanto externo. Nesse processo, a Origem Premium, faz uma participação ativa em melhorar a eficiência, trazendo segurança para quem produz, considerando as fases de produção, que envolve o produtor rural, o processo de industrialização relacionado a o abate e a desossa, além do posicionamento e o processo de distribuição do produto até o ponto de venda, para chegar ao nível de atendimento do consumidor final”.

Macia & Saborosa, Saudável & Sustentável. Essa é a nossa carne!!!

Em plena ascensão, devido aos investimentos na genética do rebanho, melhores pastos, novas tecnologias, técnicas de manejo e sanidade animal, a pecuária brasileira cresceu e se estabeleceu entre os maiores produtores e exportadores de carne bovina do mundo. Dentre as conseqüências, houve o aumento da concorrência e expectativa do mercado consumidor por carne de melhor qualidade e menor preço. Neste cenário, cada vez mais competitivo e dinâmico, aposte no conceito da pecuária de precisão e garanta a gestão ambiental de seu empreendimento rural. O protocolo Origem Premium pode se tornar um guia vantajoso para a eficácia de seu negócio. Invista em genética, busque o Programa Origem Premium. Para saber mais, entre em contato pelo e-mail: contato@origempremium.com.br

Leia mais:  New Beef realiza primeiro abate certificado de animais Raça Araguaia pelo programa Origem Premium

Comentários Facebook
Continue lendo

Agro News

Aprosoja-MT debate atraso ou cancelamento de pedidos de defensivos e fertilizantes

Publicado


Política Agrícola e Logística

Aprosoja-MT debate atraso ou cancelamento de pedidos de defensivos e fertilizantes

Reunião com associados acontece nesta sexta-feira (15), por videoconferência

14/10/2021

Com o objetivo de ouvir relatos de produtores rurais de todas as regiões do estado em relação aos atrasos e cancelamentos de pedidos de defensivos e fertilizantes, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), promove nesta sexta-feira (15), às 18h, um debate, por meio de videoconferência, sobre a escassez dos insumos para a safra 21/22.

A entidade mantém contato diariamente com representantes de cada uma dessas cadeias de insumos para avaliar os cenários presentes e futuros, mas sabe que na prática algumas ações precisam ser tomadas pelos produtores individualmente para se respaldarem frente a eventuais prejuízos causados pela não entrega dos produtos, ou mesmo, pela chegada na fazenda fora do período ideal de aplicação.

De acordo com a Aprosoja-MT, a recomendação é para que o produtor notifique o fornecedor do descumprimento do prazo de entrega que fora pactuado em contrato ou no pedido de compra.

Leia mais:  Diretoria realiza reunião com produtores em Campo Novo

O vice-presidente da Aprosoja-MT, Lucas Costa Beber faz um alerta aos produtores rurais. “É importante que essa comunicação seja formal, por e-mail ou notificação extrajudicial, e que traga em seu contexto um prazo para que o acordo comercial seja cumprido, elencando os prejuízos decorrentes da inobservância, como risco de performance da lavoura ou ainda a inviabilização do plantio da safra. Caso o produtor não tenha êxito na ação, o deve buscar rapidamente assessoria jurídica para que outras medidas sejam avaliadas de acordo com o caso concreto”.

Na reunião, o Superintendente do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), Cleiton Gauer, vai apresentar dados do acompanhamento de preços que o instituto promove periodicamente.

Aprosoja reconhece o cenário provocado pelas paralisações nas fábricas de matérias primas em virtude das medidas de distanciamento para enfrentamento da pandemia adotadas por cada país, além de questões de ordem comercial internacional, contudo não há de se desprezar a intenção de alguns fornecedores no sentido de corrigirem o valor dos pedidos sob a alegação de variação abrupta de custos.

Leia mais:  Pesquisa pretende elevar potencial produtivo das lavouras em MT

“Nesse sentido, precisamos lembrar que recentemente os produtores rurais viveram algo semelhante, venderam sua produção a preços bem inferiores àqueles que eram praticados no momento da entrega, todavia a imensa maioria cumpriu com os contratos, então o que se espera agora das empresas é que tenham um comportamento íntegro e preservem a confiabilidade dos acordos comerciais. Esse é o momento em que o mercado precisa mostrar reciprocidade, e a Aprosoja estará acompanhando de perto a conduta das empresas”, afirmou o coordenador da Comissão de Política e Logística da Aprosoja-MT, Tiago Stefanello.

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agro News

Aprosoja-MT repudia ação de vândalos na sede da Aprosoja Brasil

Publicado


Fortalecimento Institucional

Aprosoja-MT repudia ação de vândalos na sede da Aprosoja Brasil

A diretoria da entidade aguarda as investigações e as devidas providências das autoridades na identificação dos manifestantes

14/10/2021

Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) lamenta e repudia a ação de vândalos que picharam e depredaram a sede da Aprosoja Brasil, em Brasília, na manhã desta quinta-feira (14.10). A diretoria da entidade aguarda as investigações e as devidas providências das autoridades na identificação dos manifestantes.

“Lamentavelmente recebemos a notícia das imagens da depredação da Aprosoja Brasil, no qual a Aprosoja-MT também integra a diretoria. A soja tem uma importância muito grande para nosso país, pois é a principal fonte de proteínas para aves, suínos e bovinos, ou seja, ela alimenta muitas pessoas. Isso que ocorreu não deve se repetir porque se tivesse pessoas lá dentro a vida deles estaria em risco, sem contar que houve uma depredação e invasão ao patrimônio. Nós esperamos que as autoridades tomem providências e identifiquem esses vândalos e que eles sejam punidos no rigor da lei. É preciso que se faça justiça para que fatos como este não voltem a se repetir, e que as entidades do nosso país não sejam ameaças”, declarou o vice-presidente da Aprosoja-MT, Lucas Costa Beber.

Leia mais:  Logística prejudica escoamento da safra no Vale do Araguaia

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

BRABINHO OURO INFORMA

R$ 308,54

Peixoto de Azevedo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Política Nacional

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - REDE CENTRO NORTE DE COMUNICAÇÃO LTDA-ME - CNPJ: 34.052.986/0001-65 | Peixoto de Azevedo - MT
Desenvolvido por InfocoWeb - 66 9.99774262