Home » Veja as praias consideradas impróprias para banho no Teles Pires

Veja as praias consideradas impróprias para banho no Teles Pires

por Lidiane Moraes
veja-as-praias-consideradas-improprias-para-banho-no-teles-pires

As praias foram analisadas nos municípios de Colíder, Guarantã do Norte, Matupá e Peixoto de Azevedo. Dez foram consideradas apropriadas para banho, outras duas impróprias

Doze praias na região do Rio Teles Pires foram avaliadas pela Sema (Secretaria Estadual de Meio Ambiente). De acordo com a análise da água, 10 foram consideradas apropriadas para banho, outras duas impróprias.

Design sem nome 2023 11 26T110654.771
Praia em Guarantã do Norte. (Foto: Sema/MT)

Foram coletadas amostras de água nos municípios de Colíder, Guarantã do Norte, Matupá e Peixoto de Azevedo.

As duas praias analisadas em Peixoto de Azevedo, a 692 km de Cuiabá, a Cachoeira da 11 e o Balneário Beira Rio, foram classificadas como impróprias.

As amostras foram coletadas pelo Comitê de Bacia Hidrográfica do Médio Teles Pires e analisadas pelo Laboratório de Monitoramento da Água e do Ar, da Sema.

O processo de coleta de dados em campo até a análise de laboratório ocorreu entre 28 de agosto e 5 de outubro. 

As praias consideradas próprias para banho foram:

  • Matupá: Lago Matupá, Captação do Rio Peixoto de Azevedo e Rio Peixotinho I (na Ponte Peixotinho I e Cachoeira E-60).
  • Guarantã do Norte: Balneário Stregue e Balneário do Cláudio, no Rio Braço Norte e Clube de Campo Cachoeirinha no Rio Braço Sul.
  • Colíder: Cachoeira da Família no Rio do Jordão, cachoeira Mercúrio no rio do Meio e Rancho Baixadão no Córrego Esperança.
Design sem nome 2023 11 26T110947.208
Análises são feitas durante 5 semanas consecutivas. (Foto: Sema/MT)

Como é feita a análise

A coleta da balneabilidade tem a sua metodologia descrita na Resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente. Ela consiste na realização de amostragens durante 5 semanas consecutivas. São coletadas amostras de água em locais utilizados por banhistas para recreação, no trecho onde é possível atingir a isóbata de 1 m.

São coletadas amostras para análise microbiológica e medido o pH. As amostras são acondicionadas em caixas térmicas e enviadas para análise no Laboratório da Sema, em Cuiabá, onde são processadas. Esse processo vai se repetir uma vez por semana, durante 5 semanas.

Ao final, técnicos da Sema emitem um boletim informando se a praia está própria (excelente, muito boa ou satisfatória) e imprópria para banho.

você pode gostar